Projeto arrecada material escolar para doar a estudantes

Material é para alunos em vulnerabilidade socioeconômica da Poli e pré-vestibulandos do cursinho da unidade

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail
Foto: Reprodução/projeto Nosso Estojo

.
Na Escola Politécnica (Poli) da USP, um grupo de alunos de graduação se organizou, de forma independente, para lançar o Nosso Estojo. O projeto tem como objetivo auxiliar na permanência estudantil de alunos com vulnerabilidade socioeconômica por meio da distribuição de kits com materiais de estudo. Os materiais, adquiridos através de doações, serão destinados a recém-ingressantes em engenharia e à pré-vestibulandos do Cursinho da Poli – curso de caráter popular, sem mensalidade.

Apesar do Programa de Apoio à Permanência e Formação Estudantil (PAPFE) existente na Universidade, nenhum dos auxílios é voltado para a compra de material escolar. Segundo o estudante George Emiliano, idealizador do projeto, isso representa um problema de permanência, especialmente, para cursos que exigem o uso de materiais de alto custo, como é o caso dos cursos de engenharia. “O grande intuito do projeto é chamar a atenção para a necessidade de se olhar mais para as dificuldades que os alunos de renda baixa que ingressam ou que pretendem ingressar na Poli enfrentam”, disse Emiliano.

Vale lembrar que a equipe conta, ainda, com os estudantes Bruno Beltramini Cruz, Vinicius Shinya, Abidan Henrique e Fernando Liguori – todos da Poli.

O projeto está na fase de arrecadação dos materiais a serem doados. Para isso, foi criado um ponto de coleta na sede da entidade estudantil Grêmio Politécnico. Para divulgar a campanha de coleta de materiais, o grupo lançou um vídeo no YouTube, que pode ser conferido aqui: 

Doações

Três kits estão previstos para serem distribuídos: o “básico”, o “caderno” e o “desenho”. Na lista dos materiais estão: apontadores com reservatório, borrachas plásticas, canetas esferográficas de cor azul ou vermelha, lápis grafite nº 2, lápis grafite técnico HB e 2B, canetas marca-texto, réguas transparentes de 15 e 30 cm, blocos de folha sulfite, cadernos pautados ou quadriculados com capa dura, pastas com elástico, transferidores e esquadros de 45 ou 60 graus.

Segundo Emiliano, será feito uma espécie de filtro para verificar a qualidade dos materiais recebidos e, só assim, eles seguirão aos seus destinatários.

Caixa para arrecadação do material está no primeiro andar do Prédio do Biênio, na Poli – Foto: Divulgação

“O primeiro e mais difícil passo já foi dado: o de chamar a atenção para as necessidades dos alunos de baixa renda que ingressam ou que pretendem ingressar na Poli. A arrecadação ainda não tem prazo para acabar, mas, assim que esta etapa estiver concluída, o próximo passo é pensar em formas de distribuir os materiais de modo que as pessoas que precisam deles se sintam à vontade para procurar auxílio e recebê-los”, explicou.

Serviço

Para doar, basta ir até o posto de arrecadação, localizado no 1º andar do Prédio do Biênio (Av. Professor Almeida Prado, 128, Trav. 2, Cidade Universitária – São Paulo-SP).

 

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados