Projeto da USP ensina mindfulness pela internet para combater ansiedade e depressão

Ações do Centro de Mindfulness e Práticas Integrativas da USP, em Ribeirão Preto, buscam promover bem-estar; encontros acontecem às quartas-feiras, às 18 horas

Mindfulness ajuda a reconhecer a forma como respondemos física e emocionalmente aos acontecimentos da vida – Foto: 123RF

.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), é estimado que o número de pessoas com distúrbios mentais, tais como ansiedade e depressão, aumente por causa do isolamento social provocado pela pandemia de covid-19. No enfrentamento desses males, há práticas como o mindfulness, oferecido em atividades promovidas pelo Centro de Mindfulness e Práticas Integrativas, projeto de extensão da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP) da USP.

Mindfulness significa atenção plena, ou seja, a capacidade de focalizar atenção de maneira integral em algo. “A prática de mindfulness nos ajuda a tomar consciência de nossas experiências, reconhecendo a forma como respondemos física e emocionalmente aos acontecimentos da vida”, explica a professora Edilaine Donato, coordenadora do Centro em Ribeirão. 

Nesse sentido, a instituição promove atividades virtuais voltadas à prática. Uma delas é o Estúdio Cultivando Mindfulness, que oferece encontros on-line, gratuitos e abertos ao público geral. Acontece todas as quartas-feiras às 18 horas. “Basta se inscrever no site uma única vez e então o participante terá acesso a todos os encontros que serão oferecidos ininterruptamente durante a pandemia”, conta Edilaine. 

A atividade é realizada em parceria com o MindfulSpace, um estúdio de mindfulness que busca desenvolver a prática com pessoas físicas e organizações de modo geral. Para participar, basta acessar o link.
.
.

Cuidar de quem cuida

Outra atividade oferecida pelo centro foi o treinamento “Praticando mindfulness durante a pandemia da covid-19: desenvolvendo habilidades para lidar com o estresse e manter a saúde mental em tempos desafiadores”, destinado a profissionais da saúde que lidam com a pandemia de coronavírus. 

Edilaine conta que a ideia surgiu com base nos altos índices de problemas enfrentados por esses profissionais, especialmente da área de enfermagem, como estresse crônico, sintomas de fadiga, esgotamento profissional e comprometimento da saúde mental. A equipe entendeu haver uma necessidade de suporte a esses profissionais para lidar com as demandas emocionais. Por isso, ofereceu um treinamento on-line de oito semanas sobre mindfulness.

Segundo a professora, os profissionais participavam das aulas semanalmente e nos demais dias recebiam orientações via mídias sociais e auxílio de um instrutor para a prática.

Cartilha orienta como ajudar crianças que sofreram violência utilizando práticas de mindfulness – Foto: Reprodução

Além desses encontros, uma cartilha foi produzida com objetivo de auxiliar pessoas vivenciando situações de violência, especialmente em períodos de estresse coletivo, como ocorre na crise atual. A produção veio do projeto Esplena, apoiado pelo Centro de Mindfulness, no qual é oferecido acolhimento baseado em mindfulness para crianças e adolescentes expostos à violência sexual no município de Ribeirão Preto. Clique na imagem para ver a cartilha.

A importância das habilidades desenvolvidas por meio do mindfulness está na disponibilização de recursos emocionais e estados positivos, ainda mais em tempos desafiadores. “Quando praticamos juntos, mesmo em uma sala virtual, e compartilhamos nossas experiências e desafios, estamos compartilhando nossa humanidade, fortalecendo nosso senso de pertencimento e nossa atitude compassiva”, comenta Edilaine. 

Mais informações sobre o Centro de Mindfulness e Práticas Integrativas da USP podem ser conferidas na página do Facebook.
.

.
Encontros Cultivando Mindfulness
On-line, gratuito e aberto ao público geral
Às quartas-feiras, 18 horas
Inscrições e acesso pelo link: https://mindfulspace.com.br/estudio-cultivando-mindfulness

.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.