Museu do Futebol disponibiliza 15 exposições virtuais

Mostras abordam temas como futebol feminino, o estádio do Pacaembu e a história da camisa da Seleção Brasileira

Editorias: Cultura - URL Curta: jornal.usp.br/?p=330005
A presença das mulheres no futebol é o tema de uma das exposições virtuais do Museu do Futebol – Foto extraída do site artsandculture.google.com/partner/museu-do-futebol

A presença das mulheres no futebol, o estádio do Pacaembu – que acaba de completar 80 anos – e a história da camisa amarela da Seleção Brasileira de Futebol. Esses são os temas de três das 15 exposições que o Museu do Futebol disponibiliza gratuitamente via internet. As mostras são feitas na plataforma Google Arts and Culture, graças a uma parceria do museu com o Google Cultural Institute, que reúne acervos de mais de 1.200 coleções do mundo. Outras exposições em cartaz abordam a vida do massagista mineiro Mário Américo (1912-1990) – que acompanhou a Seleção Brasileira de Futebol em sete Copas do Mundo, de 1950 a 1974 -, a moda no futebol e a história da chuteira (confira abaixo a relação completa das exposições oferecidas). O Museu do Futebol é uma instituição ligada à Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo.

Na exposição Mulheres, Desobediência e Resiliência, o visitante é informado de que a década de 1950 viu o futebol feminino florescer no Brasil, atraindo grande público e a atenção da imprensa. “Mas o sonho durou pouco: ao ganhar fama pelas páginas dos jornais, as atletas atraíam o olhar dos detratores da prática, que passavam a exigir, também pelos veículos de comunicação, o cumprimento da lei”, informa o texto da exposição, lembrando que o futebol feminino era proibido pela legislação federal. “Assim, os times foram obrigados, em poucos meses, a encerrar suas atividades.”

Sobre as mulheres no futebol, o museu traz ainda, entre as 15 exposições, mostras que abordam a jogadora da Seleção Brasileira Michael Jackson – participante de duas Copas do Mundo e de uma Olimpíada – e a primeira juíza de futebol profissional do mundo, a mineira Lea Campos.

Já a exposição Pacaembu – O Estádio Monumento narra história desse patrimônio paulistano, inaugurado em 27 de abril de 1940. Essa história é contada desde o início da urbanização da região onde o estádio está localizado, o bairro do Pacaembu. “Em 1921, a City of São Paulo Improvements and Freehold Land Company Limited – a Cia. City – doou uma área de 50 mil metros quadrados à Prefeitura. Era um fundo de vale, encharcado, repleto de nascentes e ribeirões, no bairro cujo nome, em tupi, significa ‘rio das pacas’, Pacaembu”, informa a exposição, fartamente ilustrada com fotos da época.

Em 1953, três anos após a Seleção Brasileira perder a Copa do Mundo de Futebol numa final para o Uruguai, em pleno estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro – uma tragédia nacional -, o jornal carioca Correio da Manhã, em parceria com a Confederação Brasileira de Desportos (CDB) – então gestora do futebol nacional -, promoveu um concurso para a escolha de um novo uniforme para a equipe brasileira, que até então vestia branco, segundo informa a exposição A História da Camisa Canarinho: Como o Amarelo-Ouro Passou a Vestir o Brasil. “A justificativa era a de que a camisa branca não carregava em si a ideia da nacionalidade brasileira, como ocorria com os vizinhos uruguaios e argentinos. Era condição do concurso a presença, no uniforme, das quatro cores da bandeira brasileira.”

Por ironia, continua a exposição, o concurso foi vencido por Aldyr Garcia Schlee, um brasileiro que nasceu e viveu parte da sua vida na fronteira do Rio Grande do Sul com o Uruguai, que chorou com a derrota brasileira, mas também vibrou com a vitória uruguaia. Na época, Schlee era desenhista de um jornal de Pelotas (RS). “A escolha do autor foi por calções azuis e brancos, deixando o verde e amarelo à camisa. Schlee achava que o verde ficaria incoerente com o azul e então optou pela escolha do amarelo na camisa.”

Páginas de abertura das exposições virtuais do Museu do Futebol – Foto extraída do site artsandculture.google.com/partner/museu-do-futebol

Confira a lista completa de exposições virtuais do Museu do Futebol:

Pacaembu – o estádio monumento
Mulheres, desobediência e resiliência
Celebre as Mulheres no futebol brasileiro
Lea Campos, a primeira árbitra
A “Michael Jackson”: Os primeiros chutes
A “Michael Jackson”: livre para jogar
A “Michael Jackson”: Seleção Brasileira e Europa
A “Michael Jackson”: o legado
Mário Américo: o massagista das seleções
Estilo em campo: acessórios, cores e tecnologias na moda do futebol
Futebol de papel
O jogo e o povo
A Seleção em Poços de Caldas
A história da Camisa Canarinho: como o amarelo-ouro passou a vestir o Brasil
Chuteiras: a evolução do futebol na ponta dos pés

 

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.