Muito além das polarizações

José Álvaro Moisés cita as boas relações entre o presidente Lula e o governador gaúcho Eduardo Leite, independentemente de suas posições políticas e ideológicas, como algo que contribui para elevar a qualidade da democracia neste momento triste para o RS

 Publicado: 15/05/2024

Logo da Rádio USP

Ao comentar sobre a tragédia que se abateu sobre o Rio Grande do Sul, o professor e cientista político José Álvaro Moisés destaca a formação de uma forte cadeia nacional de solidariedade que, independentemente da posição das pessoas quanto ao quadro polarizado da política nacional, vem procurando atender às necessidades mais prementes das pessoas em situação de risco, com doações dos mais diversos tipos, inclusive de dinheiro. O mesmo sentimento de solidariedade, segundo Moisés, também inspirou as principais iniciativas conjuntas dos governos estadual e federal, “que, a despeito de suas diferenças políticas, decidiram atuar em conjunto para atender de imediato às milhares de vítimas dos acontecimentos do Rio Grande do Sul, mas também para enfrentar o desafio da reconstrução do Estado, uma tarefa que demandará grandes volumes de recursos públicos”.

Ele enfatiza as boas relações existentes entre o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, “um claro indicador de que políticos de posições diferentes, independentemente do que os separa política e ideologicamente, podem conviver e cooperar no enfrentamento de problemas nacionais e nas questões de interesse público. Lula tem mais preocupação com a questão das desigualdades sociais e Leite olha mais para a necessidade de gestões mais eficientes e mais transparentes, mas essas diferenças não impedem que, como responsáveis pela boa governança e pela implementação de políticas públicas capazes de atender às expectativas dos eleitores, ambos possam conversar e se entender; isso é a legitimação da diversidade política como um aspecto central da democracia: a capacidade de convivência pacífica e civilizada entre adversários que se ouvem uns aos outros, mas respeitam as suas identidades distintas. Esse é também um aspecto que qualifica melhor o regime democrático onde ele existe e é uma alternativa, ou mais do que isso, uma contraposição à tendência negativa que divide o País hoje apenas em duas posições polarizadas”, sublinha Álvaro Moisés.


Qualidade da Democracia
A coluna A Qualidade da Democracia, com o professor José Álvaro Moisés, vai ao ar quinzenalmente,  quarta-feira às 8h30, na Rádio USP (São Paulo 93,7; Ribeirão Preto 107,9 ) e também no Youtube, com produção da Rádio USP,  Jornal da USP e TV USP.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.