Orquestra Sinfônica da USP faz três estreias mundiais nesta semana

Obras de Arrigo Barnabé, Gabriel Levy e Paulo C. Chagas serão exibidas pela primeira vez nesta quarta e sexta-feira

 13/09/2021 - Publicado há 1 mês  Atualizado: 16/09/2021 as 11:36
A regente Natália Larangeira – Foto: Alexandre Resende

A Orquestra Sinfônica da USP (Osusp) vai fazer a estreia mundial de três composições nesta semana, durante o evento on-line 3×22: Diálogos Improváveis, promovido pelos órgãos ligados à Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária da USP (leia mais sobre o evento neste link). As três obras inéditas, dos compositores Arrigo Barnabé, Gabriel Levy e Paulo C. Chagas, foram gravadas e serão lançadas no site do projeto 3×22, daquela Pró-Reitoria. Além dessas primeiras exibições, a orquestra apresentará obras históricas e marcos do Modernismo musical.

Nesta quarta-feira, dia 15, a partir das 18h30, a Osusp se une ao Coral da USP (Coralusp) para apresentar pela primeira vez a Rapsódia Cobra Canoa, de Gabriel Levy e Magda Pucci. “Composta com temas de diferentes tradições mítico-religiosas, a partir dos fragmentos musicais originais, a obra é uma peça audiovisual que utiliza diversos recursos para a transformação e recomposição de sons e imagens que têm em comum a reverência às divindades femininas”, divulgou a Osusp em nota.

Em seguida, a orquestra mostra, também em primeira exibição, Re-soundings/Re-sonâncias, de Paulo C. Chagas, professor titular da Universidade da Califórnia-Riveride. “Fruto da pesquisa sobre a música telemática desenvolvida em colaboração internacional entre Chagas e Cássia Carrascoza Bomfim, vice-diretora da Osusp, Re-soundings é uma música audiovisual telemática que integra a formação sinfônica de maneira experimental e única, dialogando com a arte digital, a prática orquestral, a tecnologia de ponta, o audiovisual e a performance telemática”, segundo a nota da Osusp.

Ainda na quarta-feira, concluindo o concerto, será lançada a primeira série de gravações da temporada da Osusp, com obras coloniais sob regência de Natália Larangeira. No repertório, Duas Modinhas Mineiras Anônimas, resultado da pesquisa de Adhemar Campos Filho e George Olivier Toni, com harmonização e orquestração de Rubens Russomanno Ricciardi, e Pensamento Sentimental, de José Maria Xavier, para cordas e clarinete solo de Tiago Garcia, com transcrição de Rogério Duprat e edição crítica de Ricciardi.

Na sexta-feira, dia 17, também às 18h30, sob regência de Ricardo Bologna e narração de Arrigo Barnabé, a Osusp interpreta História do Soldado, de Igor Stravinsky, em versão para língua portuguesa. O encerramento do concerto acontece com o lançamento da obra inédita Taxidermia em Dois Movimentos, especialmente composta por Arrigo Barnabé para a Osusp, que conta com a participação da Orquestra Errante.

O diretor da Osusp e professor do Departamento de Música da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP, Fábio Cury, destaca a interação da Orquestra Sinfônica da USP com os Departamentos de Música da ECA e da USP em Ribeirão Preto. “Para a realização dos concertos e gravações das obras foram feitas parcerias com os professores Rubens Ricciardi e Cássia Carrascoza, de Ribeirão Preto, e com os professores Ricardo Bologna e Eliane Tokeshi, da ECA, além de contar com Rogério Moraes Costa, que coordena a Orquestra Errante, e com o pós-graduando André Bachur”, cita Cury.

“O projeto 3×22 é uma grande oportunidade de escutar o que nos dizem as vozes do passado e como os princípios de permanência e transformação promovidos anteriormente se refletem hoje na prática das orquestras e da música de concerto contemporânea”, conclui Cury.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.