Casa da Xilogravura lança catálogo

Publicação traz a relação dos 1.257 artistas que têm obras no acervo do museu

  • 434
  •  
  •  
  •  
  •  
O Museu Casa da Xilogravura, em Campos do Jordão – Foto: Divulgação / Casa da Xilogravura

Casa da Xilogravura – Museu e Artistas é o nome do catálogo do Museu Casa da Xilogravura, que acaba de ser lançado. Com 32 páginas coloridas e bilíngue (português-inglês), a obra traz a relação dos 1.257 artistas que têm obras no acervo desse museu inteiramente dedicado à xilogravura, fundado pelo professor da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP Antonio Costella – diretor da instituição até hoje -, na cidade de Campos do Jordão (SP), em 1987.

O museu conta atualmente com 30 salas com xilogravuras – Foto: Divulgação / Casa da Xilogravura

O catálogo dá uma boa noção da riqueza guardada pela Casa da Xilogravura, que está instalada numa edificação erguida em 1928 e abrigou o Mosteiro de São João, da ordem das freiras beneditinas. Ali, em 30 salas, encontram-se xilogravuras feitas por artistas como Oswaldo Goeldi, Lasar Segall, Marcelo Grassmann, Lívio Abramo e Maria Bonomi. Há também obras oriundas de vários países, como Japão, Coreia do Sul, Tailândia, Sudão, Inglaterra, França e Itália.

Uma tipografia está montada e em atividade na Casa da Xilogravura – Foto: Divulgação / Casa da Xilogravura

.

Museu oferece cursos ligados à arte da impressão – Foto: Divulgação / Casa da Xilogravura

Mas não é só. O catálogo mostra também as várias dependências e atividades realizadas pela Casa da Xilogravura, além de dar informações sobre a história do museu. No local funciona uma tipografia, de composição manual, semelhante à prensa dos tempos de Gutenberg. “A coleção também inclui centenas de clichês metálicos, que os tipógrafos usavam para imprimir ilustrações”, informa o catálogo. Há também uma biblioteca, com livros sobre xilogravura e tipografia em geral. “A Casa da Xilogravura promove também mostras temporárias de gravura, cursos e outros eventos culturais, e possui ateliê xilográfico, oficina tipográfica e biblioteca especializada”, lê-se no catálogo.

Espaço de exposição da Casa da Xilogravura – Foto: Divulgação / Casa da Xilogravura

.

Xilogravura tailandesa, do acervo do Museu Casa da Xilogravura – Foto: Divulgação / Casa da Xilogravura

.

O catálogo lançado pelo museu – Foto: Divulgação / Casa da Xilogravura

O museu é sede também da Editora Mantiqueira, mantenedora da Casa da Xilogravura, para onde é revertida toda a renda obtida com a venda de livros ligados a várias áreas do conhecimento, como comunicação, arte, turismo, história e direito. Uma das coleções publicadas pela editora é a série Patas, escrita pelo professor Antonio Costella, que tem como narrador o cão Chiquinho. Num dos volumes da série, por exemplo, Chiquinho conta suas aventuras durante uma viagem à Europa.

Mais do que um personagem, Chiquinho foi, na realidade, um cachorro adotado por Costella e já falecido. O corpo do animal está enterrado no jardim norte do museu. “O sucesso comercial desses livros ajudou a Editora Mantiqueira a tornar-se mantenedora do Museu Casa da Xilogravura”, anuncia o catálogo, referindo-se à coleção Patas.

Casa da Xilogravura – Museu e Artistas, catálogo do Museu Casa da Xilogravura, Editora Mantiqueira, 32 páginas, R$ 18,00.

 

 

 

 

 

 

  • 434
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados