Série Energia: Chuveiro elétrico foi criado por brasileiro e se popularizou nos anos 1930

No episódio desta semana o professor Fernando de Lima Caneppele conta a história da invenção que consome ⅓ da energia mensal de uma casa

 20/10/2021 - Publicado há 1 mês
Por

Muita gente não sabe, mas o chuveiro elétrico que temos na nossa casa, foi criado por um brasileiro, no século passado, chamado Francisco Canho. Mas a ideia de aquecer a água para tomar banho é muito antiga. Era possível encontrar no Egito e na Grécia antiga aparelhos semelhantes, com um detalhe básico: a etapa de aquecimento era feita separadamente. A ideia do chuveiro que conhecemos hoje surgiu a partir da intenção de se recorrer à rede elétrica como meio de aquecimento da água, diferentemente do que se tinha na Europa por exemplo, onde o aquecimento era feito via gás.

A história do chuveiro elétrico até nossos dias e as dicas para economizar energia na hora de tomar banho são tema da Série Energia desta semana. Você vai saber, por exemplo, que o chuveiro elétrico se popularizou no início da década de 30 do século passado, época em que o país passava por um grande processo de urbanização, o que facilitou a expansão da ideia.  Os chuveiros de plástico surgiram cerca de 30 anos depois, e se tornaram ainda mais populares. 

A preocupação no consumo de energia quando se usa o chuveiro elétrico não é por acaso. A ducha aquecida na hora do banho é responsável por  cerca de 23% do gasto mensal de energia elétrica nas residências, segundo dados do Ministério das Minas e Energia.

Quem explica direitinho é o engenheiro eletricista Fernando de Lima Caneppele, especialista em energias renováveis e professor da Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos de Pirassununga(FZEA)  da USP.

Energia tem apresentação do professor Fernando de Lima Caneppele (FZEA) com produção do professor e colaboração da aluna Ana Cristina Barone Machado, coprodução: Ferraz Junior e edição: Rádio USP Ribeirão. Você pode sintonizar a Rádio USP Ribeirão Preto em FM 107.9, ou pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular para Android e iOS . 

Ouça no player acima o primeiro episódio sobre bandeiras tarifárias na íntegra.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.