O reúso de água potável como estratégia contra a escassez

José Carlos Mierzwa diz que o reúso potável é o encurtamento do processo natural de reciclagem da água, cuja recuperação natural não acompanha a demanda de grandes centros urbanos

 22/03/2021 - Publicado há 7 meses
Os estudos para o reúso de água não potável culminaram no início das atividades de pesquisa relacionadas ao reúso potável direto, com estudos pioneiros no Brasil – Foto: Martin Vorel/Libreshot

 

O Centro Internacional de Referência em Reúso de Água foi criado em 2000, pelo professor Ivanildo Hespanhol, engenheiro civil pela USP. O centro tem como objetivo sanar problemas de escassez de água, principalmente na região metropolitana de São Paulo e em outra regiões do País, e desenvolver tecnologias para viabilizar a implantação dessas práticas de reúso – principalmente no setor industrial e órgãos públicos, disseminando informações sobre a possibilidade do reúso da água.

Em conversa com o Jornal da USP no Ar 1ª Edição, o professor José Carlos Mierzwa, do Departamento de  Engenharia Hidráulica e Ambiental da Escola Politécnica (Poli) da USP, conta que os estudos para o reúso de água não potável culminaram no início das atividades de pesquisa relacionadas ao reúso potável direto, com estudos pioneiros no Brasil. “Junto a uma companhia de saneamento de São Paulo (a companhia de saneamento de Campinas), implantamos um sistema demonstrativo para verificar o potencial de produção de água potável a partir de gastos domésticos”, explica o professor.

O reúso potável é o encurtamento do processo natural de reciclagem da água, cuja recuperação natural não acompanha a demanda de grandes centros urbanos – onde a taxa de uso e também a deterioração da qualidade da água não permitem que o ciclo natural a restitua em quantidade e qualidade suficientes para que seja consumida. Isso acontece na maioria das regiões metropolitanas do mundo. “Então, ao invés de pegarmos o esgoto e tratarmos ele no nível não tão elevado, com potencial inclusive de contaminar os mananciais, nós podemos usar novas tecnologias de tratamento e com isso encurtamos o ciclo de recuperação da qualidade da água”, completa Mierzwa.

Um evento irá discutir o tema da escassez de água, além de lançar um livro em homenagem ao professor Ivanildo Hespanhol, no qual José Carlos Mierzwa participa, no dia 23/3, pelo canal do YouTube da Escola Politécnica da USP.


Jornal da USP no Ar 
Jornal da USP no Ar é uma parceria da Rádio USP com a Escola Politécnica, a Faculdade de Medicina e o Instituto de Estudos Avançados. No ar, pela Rede USP de Rádio, de segunda a sexta-feira: 1ª edição das 7h30 às 9h, com apresentação de Roxane Ré, e demais edições às 10h45, 14h, 15h e às 16h45. Em Ribeirão Preto, a edição regional vai ao ar das 12 às 12h30, com apresentação de Mel Vieira e Ferraz Junior. Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo do Jornal da USP no celular. 


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.