O relativismo promovido pelo Facebook é cínico

É o que pensa o professor Glauco Arbix ao refletir, em sua coluna, sobre a questão da credibilidade do Facebook

  • 5
  •  
  •  
  •  
  •  

A conversa do professor Glauco Arbix desta segunda-feira, no Observatório da Inovação, é sobre a questão da credibilidade no Facebook. Para o professor, não é muito claro como o Facebook vai desenvolver essa credibilidade. “O Face publica matérias tipo jornalísticas, mas não conta com uma redação, com gente experimentada, que faz investigação, que checa fatos para conseguir separar aquilo que é ficção do que é invenção, do que é deformação, daquilo que simplesmente é opinião de alguém”, observa.

“Pelo contrário”, analisa Arbix, “Mark Zuckerberg diz que o Face está se afastando cada vez mais daquilo que é mídia tradicional, porque simplesmente apresenta a opinião dele e, de vez em quando, apresenta a opinião do outro. O Facebook tem essa virtude de oferecer uma imensidade de outras opiniões e as pessoas podem formar a sua própria. Dentro de uma montanha de dados, cada um deve escolher a sua verdade. É como se houvesse uma relativização da vida.”

Para o professor, a verdade nasce do debate público e de um trabalho de investigação que consegue mostrar aquilo que é factual do que não é. “O relativismo generalizado é muito cínico.”

Ouça, no link acima, a íntegra da coluna Observatório da Inovação, com Glauco Arbix.

  • 5
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados