Mais de 80% dos pais são favoráveis à vacinação completa de seus filhos

“Precisamos dialogar com os pais sobre a decisão de vacinar suas crianças”, afirma Lorena Barberia ao comentar mais um boletim da Rede de Pesquisa Solidária, desta vez sobre vacinação infantil

 06/11/2023 - Publicado há 4 meses
A Rede de Pesquisa Solidária se preocupa com políticas públicas que possam melhorar os indicadores de vacinação no Brasil – Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

 

A Rede de Pesquisa Solidária, em conjunto com a Fundação José Luiz Egydio Setúbal, publicou seu 45° Boletim, com o tema: O que pensam os brasileiros sobre a vacinação de crianças em 2023. Entre 19 de julho e 3 de agosto foram entrevistados 2.129 pais de todas as regiões do País e a conclusão foi de que a imunização é parte integral dos cuidados com a saúde de crianças e adolescentes.

A professora Lorena Barberia, do Departamento de Ciência Política da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da Universidade de São Paulo e da Rede de Pesquisa Solidária, comenta a produção desse levantamento e seus resultados.

O resultado da pesquisa

Segundo a docente, ao longo da pandemia, a questão da imunização infantil foi politizada e, dessa forma, a Rede entendia que o levantamento era fundamental para compreender essa problemática no contexto de um país que possui um programa consolidado de vacinação.

Lorena ressaltou que 98% dos pais, que possuem filhos menores ou iguais a 14 anos, afirmam que são a favor da vacinação completa das crianças. No contexto de todos os responsáveis, a pesquisa apontou que, de forma homogênea nas regiões do País, mais de 80% aderiram à imunização dos jovens.

Gráfico que aponta a proporção de pais que vacinaram os filhos – Imagem: Reprodução/Rede Pesquisa Solidária

 

Preocupações dos pais

A pesquisadora afirma que a Rede se preocupa com políticas públicas que possam melhorar os indicadores de vacinação no Brasil: “Uma questão é a disposição e a opinião dos pais sobre vacinar seus filhos, mas nós também entendemos que chegar uma vacina no braço de uma criança é muito mais complexo”. 

Lorena Barberia – Foto: Reprodução/FFLCH-USP

De acordo com Lorena, existem vários fatores que podem influenciar na queda das taxas, como: conveniência, confiança e complacência dos pais. Diante desse cenário, ela ressalta que o boletim busca contextualizar e avaliar as decisões dos responsáveis, condicionados aos riscos que eles observam.

A meningite, conforme a docente, é um exemplo para entender como doenças específicas influenciam nas decisões dos pais. Nesse caso, a taxa de aceitação é elevada, visto que é uma enfermidade perigosa. “Precisamos dialogar com os pais sobre a decisão de vacinar suas crianças, para enfatizar a confiança nas vacinas e a complacência. Existem riscos graves e por isso damos as vacinas”, enfatiza a professora.

Além disso, ela reforça que os pais, muitas vezes, não conseguem levar seus filhos para imunização por conta de compromissos com o trabalho e, por isso, políticas públicas devem ser realizadas para facilitar esse cenário. 

Imunização nas escolas

O boletim apontou que mais de 80% dos entrevistados concordam que seus filhos sejam imunizados no ambiente escolar. Lorena comenta que existem municípios no Brasil, inclusive em São Paulo, que exigem a carteira de vacinação para matricular crianças nas escolas e, além disso, já existem campanhas de imunização dentro das escolas.

A professora destaca que as vacinas para covid, HPV e influenza, atualmente, possuem uma cobertura menor de crianças e adolescentes vacinados. “O que está faltando para a vacina chegar é uma questão mais prática e as escolas precisam ser um lugar onde se pensa na saúde das crianças”, argumenta ela.


Jornal da USP no Ar 
Jornal da USP no Ar é uma parceria da Rádio USP com a Escola Politécnica e o Instituto de Estudos Avançados. No ar, pela Rede USP de Rádio, de segunda a sexta-feira: 1ª edição das 7h30 às 9h, com apresentação de Roxane Ré, e demais edições às 14h, 15h e às 16h45. Em Ribeirão Preto, a edição regional vai ao ar das 12 às 12h30, com apresentação de Mel Vieira e Ferraz Junior. Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo do Jornal da USP no celular. 


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.