Farmácia Popular fechada afetará população de baixa renda

É o que pensa a responsável pela Farmácia Universitária da USP, Maria Aparecida Nicoletti

O Ministério da Saúde anunciou que, até agosto, as unidades próprias do Programa Farmácia Popular serão fechadas. Criado em 2004, o programa visa a disponibilizar medicamentos gratuitos ou com um valor acessível. O custo elevado para a manutenção das unidades, segundo o governo federal, é uma das justificativas para o seu fechamento.

Maria Aparecida Nicoletti, farmacêutica responsável pela Farmácia Universitária da USP, analisa os impactos dessa iniciativa para a população. Para ela, a redução na relação de medicamentos gratuitos que existem no programa Aqui Tem Farmácia Popular do Brasil – que substitui o Farmácia Popular – é uma medida que afeta de forma contundente as classes mais baixas.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.