Energia renovável ainda não é significativa na China

Para colunista, apesar da decisão de investir em energia renovável, chineses ainda precisam reduzir muito o uso do carvão

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Preocupada em manter o crescimento econômico e, ao mesmo tempo, reduzir a emissão de gases poluentes nas grandes cidades, a China resolveu investir pesado nas energias renováveis – de modo que elas respondam por 20% da energia produzida no país até 2030 (atualmente, esse número não ultrapassa 13%). Para o professor José Goldemberg, essa iniciativa pode ajudar a minimizar o problema, mas, dadas as dimensões e o tamanho da população do país, não deve ser suficiente para resolver a questão.

“Eles estão fazendo um grande esforço para reduzir a quantidade de carvão, que é o principal combustível da matriz energética chinesa, e inserir energia solar e eólica”, o professor destaca. “Mas passar de 13% para 20% em 18 anos não é um aumento tão expressivo – dá menos de 1% ao ano. Não é tanto assim.”

Ouça a coluna na íntegra clicando no player acima.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados