Conheça quais são as reações adversas dos antidepressivos

Disfunção sexual e taquicardia são reações comuns causadas pelos remédios

 08/07/2019 - Publicado há 3 anos  Atualizado: 26/07/2019 as 13:49
Por

O primeiro boletim Pílula Farmacêutica desta semana, fala sobre as reações adversas dos medicamentos antidepressivos.

Os antidepressivos são remédios que agem no sistema nervoso central, muito utilizados para o tratamento de transtornos mentais, como depressão, ansiedade, entre outros. Sua função é normalizar o fluxo de neurotransmissores, que são moléculas responsáveis pelo impulso nervoso de um neurônio para o outro. 

Os antidepressivos se dividem, basicamente, em algumas classes, pois, as causas e mecanismos de ação da depressão podem variar, assim como seus efeitos colaterais. Portanto, cada caso reage melhor a um determinado grupo de antidepressivos.  

Dentre os efeitos adversos mais comuns, entre as classes deste medicamento, estão a taquicardia, disfunção sexual e as reações anticolinérgicas. Os antidepressivos mais modernos, apesar de apresentarem maior tolerância, ainda possuem reações colaterais. As mais comuns são os problemas gastrointestinais, cefaleia, falta de coordenação motora e alterações no sono e no nível de energia. 

O boletim Pílula Farmacêutica é apresentado pelos alunos de graduação da Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP) da USP, com supervisão da professora Regina Célia Garcia de Andrade. Trabalhos técnicos de Luiz Antonio Fontana.

Ouça acima, na íntegra, o boletim Pílula Farmacêutica.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.