Entenda o que são os antidepressivos tricíclicos

O medicamento normaliza funções do sistema nervoso central e atua aumentando a disponibilidade cerebral de serotonina e noradrenalina

 11/07/2019 - Publicado há 2 anos
Por

Esta edição do boletim Pílula Farmacêutica explica o que são os medicamentos antidepressivos tricíclicos. Existem várias classes de antidepressivos, pois nem todos funcionam bem para todas as pessoas. Na realidade, é muito comum que sejam feitas várias trocas dos medicamentos para conseguir encontrar o antidepressivo que se adapte melhor ao paciente. 

Uma dessas classes é o tricíclico. Esse tipo atua aumentando a disponibilidade cerebral de serotonina, noradrenalina e, em menor escala, de dopamina, que são neurotransmissores fundamentais para o bom funcionamento do cérebro, regulando o humor, o sono, a libido e o apetite.  

Assim como acontece com todos os medicamentos antidepressivos, são necessárias de duas a quatro semanas de tratamento contínuo para que sejam notados seus efeitos terapêuticos. 

Esses medicamentos podem causar reações adversas como boca seca, disfunção sexual, retenção urinária, queda de pressão, constipação intestinal, visão desfocada, taquicardia, tonturas, sudorese, sedação, ganho de peso e tremores, além de possíveis perigosas interações medicamentosas.

O boletim Pílula Farmacêutica é apresentado pelos alunos de graduação da Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP) da USP, com supervisão da professora Regina Célia Garcia de Andrade. Trabalhos técnicos de Luiz Antonio Fontana.

Ouça acima, na íntegra, o boletim Pílula Farmacêutica.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.