Brasil perde certificado de país livre do sarampo

Uma das causas está na cobertura vacinal, que caiu 20% e enfraqueceu a blindagem, tornando o Brasil mais suscetível, principalmente nos casos de imigração

O tema do programa Saúde sem Complicações desta semana é sarampo e o fato de o Brasil perder o certificado de país livre da doença. O convidado é o professor Fernando Bellissimo, do Departamento de Medicina Social da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP.

Segundo Bellissimo, o Brasil retrocedeu algumas décadas, pois não tinha a circulação do vírus, e agora, a população convive diariamente com o risco de contrair sarampo em várias regiões do País.

O professor ressalta que uma das causas para essa nova realidade está na queda da cobertura vacinal em 20%, o que enfraqueceu a blindagem, tornando o Brasil suscetível nos casos de imigração, principalmente vindos da Venezuela e até mesmo por turismo da Europa. “O sarampo é grave, altamente contagioso e tem uma letalidade considerável”, alerta.

Para a recuperação do certificado de erradicação, o professor diz que se deve adotar algumas medidas principais, como reforçar a vacinação nas crianças e nas campanhas para os adultos jovens, além de controle mais rigoroso nas fronteiras para triagem, vacinação e tratamento das pessoas que estão chegando ao País.

Para o professor, é uma tremenda ignorância as pessoas temerem ou propagarem o temor das vacinas, isso representa um retrocesso imenso, porque as vacinas estão entre os itens mais seguros e efetivos que a humanidade já inventou. “Não podemos desprezar esses benefícios, ou vamos retroceder décadas e até mesmo séculos na história do controle de doenças infecciosas”, conclui Bellissimo.

O programa Saúde sem Complicações é produzido e apresentado pela locutora Mel Vieira, com trabalhos técnicos de Mariovaldo Avelino e Luiz Fontana e direção de Rosemeire Talamone.


Ouça o programa acima na íntegra.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.