Apesar da renovação, Congresso tem poucos gays, negros e mulheres

Renato Janine analisa o perfil do Congresso eleito e destaca a necessidade de aumento de participação dos grupos

  • 155
  •  
  •  
  •  
  •  

Nesta semana, o colunista Renato Janine Ribeiro comenta sobre o perfil dos congressistas eleitos no último dia 6 de outubro. Houve mais de 50% de renovação e nomes consagrados tanto da direita quanto da centro-esquerda ficaram de fora.

Um fator importante, destaca o professor, “é que embora o número de pretos tenha permanecido o mesmo (21 deputados apenas), aumentou o número de pardos, de uma ou duas dezenas, o que é uma notícia boa, apesar de estar ainda muito longe, com cento e poucos deputados (pouco mais de 20%), da proporção que eles têm na população brasileira (50%)”. A representatividade das mulheres também ficou baixa, visto que elas são pouco mais da metade da população.

Janine destaca como aspectos positivos a reeleição do único deputado assumidamente gay, Jean Wyllys, pelo PSOL-Rio de Janeiro, além da eleição do senador Fabiano Contarato, pela Rede – Espírito Santo, também assumidamente gay, casado e pai, na vaga antes ocupada por Magno Malta.

Para o colunista, apesar dos aspectos positivos citados, ainda é preciso discutir seriamente, e com urgência, a questão da representatividade na esfera política, principalmente das mulheres.

Ouça, no link acima, a íntegra da coluna Ética e Política.

  • 155
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados