A história do pensamento econômico pelas lentes de Delfim Netto

Por Ivan Salomão, professor e pesquisador do Grupo de Estudos e Pesquisa em História Econômica, Hermes & Clio, da Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Atuária da USP, e outros autores*

 19/09/2023 - Publicado há 9 meses
Ivan Salomão – Foto: Reprodução/CEPPAD-UFPR
Guilherme Grandi – Foto: Reprodução/FEA-USP
Luciana Galvão – Foto: Currículo Lattes
Herick Soares – Foto: Reprodução/FEA-USP
Alexandre Saes – Foto: Cecília Bastos/USP Imagens

 

A Universidade de São Paulo abriga alguns dos mais importantes acervos bibliográficos do Brasil. Distribuídos em 66 bibliotecas, a USP guarda obras raras e especiais em instituições como na Faculdade de Direito, responsável pela mais antiga biblioteca da Universidade; no Espaço Brasiliana, com os acervos únicos sobre a história e a literatura brasileira, constituídos no Instituto de Estudos Brasileiros e na Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin; na Escola Politécnica, responsável por seis relevantes bibliotecas setoriais e uma central, esta última depositária das obras mais antigas da área no País; na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, cuja biblioteca preserva um dos maiores acervos de desenhos originais de arquitetura existentes em universidades brasileiras. Isso só para citar quatro, entre dezenas de exemplos da riqueza bibliográfica ostentada pela Universidade.

Entre as proeminentes bibliotecas da Universidade de São Paulo, a da Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Atuária (FEA) também merece destaque. Tendo como origem a incorporação do acervo do Departamento de Serviço Público do Estado de São Paulo em 1946, a biblioteca da FEA cresceu com a faculdade, em diálogo com os seus professores e pesquisadores, garantindo sua contínua ampliação e modernização. Se já era considerada uma das mais relevantes do País, referência para pesquisadores de todo o Brasil, a partir de 2014, com a chegada da doação da biblioteca de Antonio Delfim Netto, a biblioteca dobrou seu acervo e aprofundou sua originalidade e pluralidade, oferecendo um amplo conjunto de obras exclusivas, encontradas apenas em seu acervo pessoal.

Os cerca de 100 mil livros, 90 mil periódicos e outra centena de milhares de artigos reunidos em compêndios organizados em volumes temáticos por Delfim Netto formam, como afirma seu doador, uma biblioteca de estudo. Construída em uma época de difícil acesso a trabalhos publicados no exterior, a biblioteca de Delfim Netto tornou-se recurso para pesquisadores que não teriam acesso a determinadas obras em nenhuma outra coleção nacional.

A pluralidade do acervo representa um de seus principais destaques, abrigando obras das mais diversas áreas do conhecimento humano, como história, antropologia, sociologia, filosofia, tecnologia, meio ambiente e assuntos contemporâneos. Formada por meio de pesquisa exaustiva e seleção refinada, a biblioteca continua crescendo por meio de aquisições semanais, voltadas para completar conjuntos bibliográficos de diversos temas – especialmente no campo da Economia –, mas também para se atualizar a partir de pautas contemporâneas, como o debate da economia feminista, os desafios ambientais, as transformações no campo da ciência e tecnologia, dentre outros assuntos da realidade do século 21.

Nos próximos meses, uma parte dessa preciosa coleção será exposta no hall de entrada da Biblioteca da FEA, convidando usuários e interessados a interagir com obras fundamentais da área da Economia. A exposição Uma viagem pela história do pensamento econômico apresenta algumas das mais importantes obras do acervo da biblioteca de Antonio Delfim Netto. Trata-se de uma oportunidade única para estudantes e pesquisadores interessados em conhecer preciosidades de uma das mais completas e plurais coleções brasileiras da área das ciências sociais.

A seleção dos livros apresentados na exposição, organizada pelo Grupo de Estudos e Pesquisa em História Econômica da FEA, Hermes & Clio, levou em consideração critérios como a importância da obra para a área, a existência de alguma anotação feita pelo próprio Delfim Netto ou a raridade da obra – como, por exemplo, a primeira edição irlandesa de A riqueza das nações, de Adam Smith.

São quase 150 livros, selecionados por meio de textos acessíveis para não especialistas, apresentados a partir de 12 vitrines temáticas que percorrem as principais correntes e obras da história do pensamento econômico:

1) Pré-clássicos;
2) Economia política clássica: o nascimento da economia;
3) Marx e a crítica socialista à economia política clássica;
4) A batalha do método e as origens da economia neoclássica;
5) A matemática entra em cena;
6) Expressões do liberalismo;
7) O institucionalismo e suas reverberações;
8) Keynes e os keynesianos;
9) Economia do desenvolvimento e estruturalismo;
10) Macroeconomia no pós-Segunda Guerra;
11) Temas contemporâneos; e
12) Diálogos com Delfim.

Trata-se de um roteiro para profissionais ou apenas interessados em economia, por meio do qual se poderá percorrer os caminhos e debates que permearam o desenvolvimento do saber econômico. Muito mais do que uma ciência positiva, que se desenvolve gradativamente numa única direção, a exposição apresenta uma área de pesquisa influenciada pelos humores dos tempos, que precisou e precisa responder aos desafios impostos pela história, tais como a compreensão das inúmeras consequências da revolução industrial, a criação de mecanismos para o enfrentamento de crises disruptivas, como a Grande Depressão dos anos 1930, e a administração de adversidades desafiadoras, como impasses sociais e a desigualdade econômica.

Assim, a exposição procura oferecer uma viagem pela história do pensamento econômico mundial e da própria economia brasileira por meio de alguns dos mais importantes livros e artigos que refletiram o desenvolvimento da teoria e da história econômica do Brasil. Espera-se que as obras apresentadas não apenas ilustrem a riqueza de que dispõe um dos mais ricos e completos acervos bibliográficos do País, mas, sobretudo, inspire as comunidades interna e externa à USP a refletirem sobre os caminhos do desenvolvimento humano.

Serviço
Exposição A biblioteca de Delfim Netto: uma viagem pela história do pensamento econômico
Inauguração: 22 de setembro (para convidados)
Local: Biblioteca FEA – Av. Prof. Luciano Gualberto, 908, Cidade Universitária
Visitação pública: a partir de 25 de setembro, de segunda a sexta, das 7h30 às 21h30

* Guilherme Grandi, Luciana Galvão, Herick Soares e Alexandre Saes, professores e pesquisadores do Grupo de Estudos e Pesquisa em História Econômica, Hermes & Clio, da Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Atuária da USP
________________
(As opiniões expressas nos artigos publicados no Jornal da USP são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem opiniões do veículo nem posições institucionais da Universidade de São Paulo. Acesse aqui nossos parâmetros editoriais para artigos de opinião.)


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.