Pílula Farmacêutica #142: Genérico deve melhorar adesão ao tratamento do TDAH

Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDHA) tem causas complexas que incluem fatores genéticos e ambientais

 Publicado: 10/06/2024
Pílula Farmacêutica - USP
Pílula Farmacêutica - USP
Pílula Farmacêutica #142: Genérico deve melhorar adesão ao tratamento do TDAH
/

Nesta edição do Pílula Farmacêutica, a acadêmica Amanda Pereira de Araujo, orientada pela professora Regina Andrade da Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP) da USP, traz informações atualizadas sobre os medicamentos utilizados para tratar o Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade, o TDAH. O foco é o surgimento de novas drogas, como a lisdexanfetamina, e suas versões genéricas.

Amanda informa que o TDAH é um transtorno que dificulta a atenção, o controle de impulsos e a manutenção de níveis adequados de atividade. Seus principais sintomas são desatenção, hiperatividade e impulsividade. O diagnóstico é feito por um profissional de saúde mental, com base em uma avaliação completa dos sintomas, histórico do paciente e entrevistas com pessoas próximas. Segundo a acadêmica, as causas do transtorno são complexas e incluem fatores genéticos e ambientais; informa ainda que estudos indicam que pode ser hereditário e estar relacionado a alterações nos neurotransmissores do cérebro, em especial a dopamina e a norepinefrina. 

Os tratamentos combinam “terapias comportamentais e medicamentos que melhoram a atenção e reduzem a hiperatividade e a impulsividade”, conta Amanda. A lisdexanfetamina, por exemplo, libera uma substância chamada dextroanfetamina no organismo que, por sua vez, “aumenta a liberação de dopamina e norepinefrina nas sinapses, melhorando a atenção e reduzindo a hiperatividade e impulsividade”. 

Entre os possíveis efeitos colaterais desses medicamentos, a acadêmica cita insonia, perda de apetite e aumento da frequência cardíaca, exigindo que “os pacientes sejam monitorados para ajustar a dosagem”.

Medicamento genérico para o TDAH

No Brasil, recentemente “um novo medicamento genérico foi lançado; é o dimesilato de lisdexanfetamina, genérico do Venvanse. O medicamento deve ser comercializado “35% mais barato que a versão de marca, com a mesma eficácia e segurança”, informa Amanda, que acredita numa maior adesão ao tratamento. “A introdução da versão genérica do dimesilato de lisdexanfetamina pode aumentar o acesso ao tratamento para muitos pacientes, reduzindo os custos e permitindo que mais pessoas recebam o tratamento necessário. A concorrência no mercado também pode levar a uma redução ainda maior nos preços ao longo do tempo.”


Pílula Farmacêutica
 
Apresentação: Kimberly Fuzel e Giovanna Bingre
Produção: Professora Regina Célia Garcia de Andrade e Rita Stella
Coprodução e Edição: Rádio USP Ribeirão 
E-mail: ouvinte@usp.br
Coordenação: Rosemeire Talamone
Horário: segunda e quarta, às 10h40
Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 107,9; ou Ribeirão Preto FM 107.9, ou pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular para Android e iOS .
Veja todos os episódios de Pílula Farmacêutica .

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.