Pela primeira vez, manuscrito de Basílio da Gama do acervo da Biblioteca Brasiliana é lançado em livro

Com publicação da Edusp, o lançamento será acompanhado de um debate com a participação da tradutora, Alexandra de Brito Mariano

 Publicado: 13/05/2024
Por
À esquerda, capa do livro As Minas de Ouro do Brasil – Brasilienses Aurifodinae, publicado pela Edusp. Ao lado, folha de rosto do manuscrito, escrito no século 18, que faz parte do acervo da BBM – Fotomontagem: Feliza Santos/BBM-USP

 

No dia 14 de maio, terça-feira, das 18h às 20h, na Sala Villa-Lobos da Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin (BBM) da USP, vai acontecer o lançamento e debate da obra As Minas de Ouro do Brasil – Brasilienses Aurifodinae, de José Basílio da Gama, que é publicada pela primeira vez em livro pela Editora da USP (Edusp).

A obra tem tradução, edição e estudo de Alexandra de Brito Mariano, que é professora na Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da Universidade do Algarve, Portugal. Os principais interesses dela são: Literatura Clássica, Medieval e Neolatina, europeia e não europeia, e Ciência da Informação.

Capa da publicação da Edusp, com tradução de Alexandra de Brito Mariano – Montagem: Feliza Santos/BBM-USP

O debate de lançamento terá a presença do professor da USP, Augusto Massi; da professora da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Júnia Ferreira Furtado; com participação remota de Alessandra de Brito Mariano e mediação do diretor da BBM, Alexandre Macchione Saes. Massi é da área de Literatura Brasileira, Júnia é da História Moderna e escreveu o posfácio da obra lançada pela Edusp; e Saes é professor de História Econômica da USP.

Brasilienses Aurifodinae

A primeira edição do manuscrito Brasilienses Aurifodinae, escrito entre 1762 e 1764 por Basílio da Gama, apresenta um retrato instigante da sociedade formada em volta da economia do ouro nas Minas Gerais do período dos Setecentos. Escrito em latim, o texto mistura história, ciência e as técnicas da época, valendo-se de palavras em tupi – a “língua geral do Brasil” – e português.

Basílio da Gama, autor mineiro nascido em 1741, é patrono da cadeira nº 4 da Academia Brasileira de Letras e um dos principais nomes do movimento arcadista no Brasil. Se destacou pela produção da poesia épica indianista, com destaque para a obra O Uraguai, de 1769, na qual retrata as expedições dos portugueses e espanhóis contra as missões jesuíticas do Rio Grande do Sul.

O lançamento da Edusp é uma tradução do latim feita por Alexandra com base em manuscritos disponíveis no acervo da BBM, que conta conta com um estudo amplo realizado pela tradutora, uma reprodução parcial dos manuscritos e a inclusão de diversas figuras – entre elas uma representação da disposição espacial da mineração, que serve de base para a bela capa feita por Gustavo Piqueira –, mobiliza um esforço ultramarino para apresentar um dos grandes nomes da formação de nossa literatura, testemunha ocular da sociedade brasileira dos Setecentos.

Ilustração presente no manuscrito do século 18 de Brasilienses Aurifodinae – Montagem: Feliza Santos/BBM-USP

A obra conta também com uma introdução de Vania Pinheiro Chaves, maior especialista viva em Basílio da Gama e professora na Universidade de Lisboa, além de um posfácio da historiadora Júnia, citada acima.

Ao leitor contemporâneo, revela sua atualidade ao colocar em seu centro o garimpo e a escravidão como elementos importantes para a compreensão do Brasil e de sua organização social. O processo de interiorização do Brasil, motivado pela busca de minerais raros e os horrores da escravidão, ressoa contemporâneo de muitos dilemas de nosso tempo. Por essa razão, este livro tem sua importância para além da história literária ou de especialistas em literatura, constituindo fonte interessante para historiadores, antropólogos, economistas, sociólogos e demais interessados na história e nos impasses do Brasil.

Serviço

Debate de lançamento do livro As Minas de Ouro do Brasil Brasilienses Aurifodinae, com a presença de Augusto Massi, Júnia Ferreira Furtado e participação remota de Alexandra de Brito Mariano, com mediação de Alexandre Macchione Saes
Quando | 14/5, das 18h às 20h
Onde | Sala Villa-Lobos da Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin, Rua da Biblioteca, 21– Cidade Universitária, São Paulo
Quanto | Grátis, sem necessidade de inscrição prévia

Com informações da Ex-Libris Comunicação Integrada


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.