Expectativa de vida do brasileiro cai após pandemia, segundo IBGE

A expectativa de vida no período pós-pandemia caiu em todo o mundo, mas o Brasil apresentou índices elevados em relação a outros países

 15/02/2024 - Publicado há 2 meses
Por
Não existe um único motivo para essa queda na expectativa de vida, o que  houve foi uma complexidade de causas – Foto: Labcidade
Logo da Rádio USP

Uma pessoa nascida no Brasil em 2019 tinha uma expectativa de viver, em média, 76,2 anos, já em 2022, essa expectativa de vida caiu para 75,5 anos no período pós-pandemia de covid-19. A queda desse indicador mostra os reflexos do aumento de mortes relacionadas à pandemia mundial, segundo a geógrafa e professora do Departamento de Saúde Ambiental da Faculdade de Saúde Pública da USP, Helena Ribeiro. Esse fato não é um registro apenas do Brasil, mas trata-se de um fator mundial, mesmo assim, o País manteve números superiores em relação ao restante do mundo no pós-pandemia.  

Helena Ribeiro – Foto: Maria Leonor de Calasans/IEA

Não existe um único motivo para essa queda na expectativa de vida, o que  houve foi uma complexidade de causas: envelhecimento da população e a dificuldade no acesso a serviços de saúde pública, principalmente no período da pandemia , atrasos no atendimento médico nos casos de câncer, entre outras. Além disso, foi registrada uma queda no número de nascidos, a mais baixa em 70 anos. Desde 2016 vem se mantendo a queda no número de nascimentos.

Em 2000, o Brasil teve um milhão de óbitos registrados; em 2019, 1,35 milhão;  em 2021,  1,83 milhão – a maior queda foi registrada em 2022:  1,54 milhão. Apesar da alta, houve um declínio em comparação ao ano anterior.  Somente para efeitos de comparação, registre-se que a mortalidade infantil em 1990 foi de 47 por 1000; em 2022, foi de 12 por mil nascidos. A tábua de mortalidade construída para 2022 ainda fez um balanço dos números no País, que mudam de Estado para Estado – no Sul, a expectativa de vida é a mais alta, já o Maranhão registra a mais baixa do País. 


Jornal da USP no Ar 
Jornal da USP no Ar é uma parceria da Rádio USP com a Escola Politécnica e o Instituto de Estudos Avançados. No ar, pela Rede USP de Rádio, de segunda a sexta-feira: 1ª edição das 7h30 às 9h, com apresentação de Roxane Ré, e demais edições às 14h, 15h e às 16h45. Em Ribeirão Preto, a edição regional vai ao ar das 12 às 12h30, com apresentação de Mel Vieira e Ferraz Junior. Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo do Jornal da USP no celular. 


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.