Aleitamento materno é questão de saúde pública

Este direito biologicamente determinado traz inúmeros benefícios tanto para a criança quanto para a mãe

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

A Organização Mundial de Saúde (OMS) alerta que apenas 39% dos bebês brasileiros de até 5 meses de idade são alimentados exclusivamente com leite materno.   Segundo José Simon, professor associado do Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP, o aleitamento materno é uma questão de saúde pública e um direito biologicamente determinado.

Um bebê se alimentando do leite materno, primeira e principal fonte de nutrição dos recém-nascidos – Ken Hammond – USDA / Domínio público via Wikimedia Commons

O professor critica a publicidade de indústrias lácteas infantis e comenta que algumas empresas chegam a comprar o leite materno em troca de leite artificial para poderem vender o leite materno liofilizado para prematuros. José Simon fala ainda de diversos outros obstáculos para que a amamentação seja uma prática mais difundida no Brasil. O especialista destaca os inúmeros benefícios que o aleitamento adequado pode proporcionar tanto a saúde da criança quanto a da mãe e ressalta que esses benefícios podem gerar grandes retornos financeiros ao país.

Simon ressalta que o Brasil tem a maior rede de bancos de leite do mundo, porém faltam estímulos para a amamentação. O professor defende um tempo maior de licença maternidade e considera absurdo condenar a prática em locais públicos, uma vez que se trata de uma atividade natural do desenvolvimento humano. Quanto aos desafios físicos que a mulher enfrenta ao amamentar, José Simon explica que tudo depende de uma orientação médica adequada. O professor esclarece que, se feito corretamente, entre cinco e dez minutos o bebê consome mais de 90% do leite da mama, desde que ele não durma no peito.

Para mais informações sobre o aleitamento, o professor recomenda o site da Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano.

O Jornal da USP, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados, Faculdade de Medicina e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.

Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados