Arte sobre foto Freepik

Por que manter o vínculo com a USP depois de se formar?

Plataforma com mais de 85 mil cadastrados reúne ex-alunos e é oportunidade para contatos profissionais e benefícios; dados também são usados para melhoria dos cursos da Universidade

03/06/2021

Redação

A cultura de manter o vínculo com a Universidade após a formatura de graduação ou a finalização de uma pós-graduação é comum em instituições tradicionais da Europa e dos Estados Unidos. Esse hábito ainda busca espaço no Brasil, mas plataformas como o Alumni USP procuram estimular esse contato e ainda gerar benefícios tanto para os ex-alunos quanto para a própria Universidade. 

Os mais de 85 mil cadastrados, quase metade ex-alunos de pós-graduação, têm alguns benefícios. Eles formam uma vasta rede de contatos profissionais que trazem em comum no currículo um diploma USP. Há ainda acesso ao acervo on-line da USP,  e-mail institucional da Universidade, informações de vagas de emprego e descontos em cursos.

Segundo Marina Helena Cury Gallottini, professora da Faculdade de Odontologia (FO) da USP e coordenadora do Alumni,  o contato com a instituição de ensino na qual a pessoa se formou propicia o networking, a educação continuada, além da oportunidade de opinar e ter papel ativo na constante melhoria da sua universidade. Com informações sobre ex-estudantes, dirigentes e docentes podem, de modo geral, estabelecer modernizações no currículo de determinados cursos.

“Para a Universidade a plataforma Alumni USP representa, além de um instrumento de gestão, uma ponte com a sociedade”, conta. “Dentro da USP, observamos um grande sentimento de orgulho e reconhecimento às unidades e faculdades. Por exemplo, o ex-aluno da Poli, o ex-aluno da Odonto. Mas queremos popularizar mais a ideia de ‘ex-aluno da USP’.”

Marina destaca que o grande número de cadastrados, especialmente nos dois últimos anos, só foi possível graças à parceria com as unidades de ensino e órgãos da Universidade, que realizam ações específicas para divulgar e estimular os formandos a aderirem à plataforma.

Como exemplo, a professora cita a Faculdade de Direito de Ribeirão Preto (FDRP), a Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) e o Instituto de Física de São Carlos (IFSC), todas figuram entre as unidades com mais alunos cadastrados.

Marina Helena Cury Gallottini, professora da Faculdade de Odontologia da USP e coordenadora do Alumni - Foto: Arquivo pessoal

Alumni em números

Alunos diplomados na USP

323.751

Cadastrados no Alumni

86.469 (26,7%)

Diplomados da Graduação

236.660

Graduados no Alumni

61.119 (25,8%)

Diplomados da Pós-graduação

127.060

Pós-graduados no Alumni

41.856 (32,9%)

A partir de 1974 todos os alunos diplomados na graduação estão registrados nas bases de dados da USP
A partir de 1986 todos os alunos diplomados na pós-graduação estão registrados nas bases de dados da USP

Perfil dos cadastrados

Atualmente, a maior adesão ocorre entre pessoas com

5 a 10 anos de formatura

Mais da metade dos inscritos
têm idades entre

30 e 40 anos

Há um equilíbrio entre as áreas de ex-alunos cadastrados:

37% de humanas

32% de biológicas

30% de exatas

Principais benefícios do Alumni

Criação do e-mail @alumni.usp.br

para onde é possível migrar todo o conteúdo do e-mail @usp.br

Utilização de ferramentas do G Suite USP

com armazenamento ilimitado do Google Drive

Download do Diploma Virtual Certificado

para estudantes que se formaram a partir de 2014

Acesso ao acervo digital da USP

conteúdos on-line, teses, livros, periódicos e produção técnica

Utilização do wi-fi Eduroam

nos campi da Universidade

Manutenção do contato com colegas da turma

Indicações de anúncios e vagas de emprego

Descontos em produtos, serviços, ingressos, livros e cursos

Parceria com ex-alunos empreendedores

Localização via Google Maps de colegas na plataforma

O banco de dados da plataforma Alumni conversa com o banco de dados da graduação e da pós-graduação da USP, com acesso a todas as pessoas graduadas após 1975 e pós-graduadas depois de 1985. Dessas, mais de 85 mil estão cadastradas na plataforma, o que corresponde a mais de 26% do total.

“A interação com os titulados na instituição é essencial para a avaliação e aperfeiçoamento do ensino oferecido pela unidade, seja pela percepção e/ou pela colocação profissional deles”, conta a professora Maisa de Souza Ribeiro, vice-diretora da FDRP, que atualmente tem 62% dos titulados cadastrados. A dirigente afirma que eles auxiliam na identificação das demandas do mercado de trabalho e da sociedade. Além disso, “entendemos que podem proporcionar grande estímulo para os estudantes em curso.”

A vice-diretora comenta que “ter 100% dos formados na FDRP cadastrados na plataforma é uma meta, dada sua importância”. Para alcançar esse e outros objetivos, a FDRP começou, em 2019, a realizar encontros com ex-alunos, de graduação e pós-graduação, quando foram divulgadas informações sobre a importância do cadastro na plataforma Alumni. Em 2020, em função da pandemia, o encontro foi on-line, e ficou restrito aos relatos de experiências.  Os dois eventos contaram com a presença da coordenadora do Alumni, Marina Helena. A terceira edição acontecerá este ano, e já está sendo organizada.

Sobre o alto índice de ex-alunos cadastrados, a vice-diretora atribui à receptividade que eles encontram no mercado de trabalho, conforme relatos nos encontros. “Eles valorizam o curso, a unidade, a USP, o conjunto de docentes, bem como a receptividade que têm no mercado de trabalho.”  Para Maisa, a plataforma Alumni é de grande importância, “deve ser valorizada e ampliada, por isso a meta na FDRP é aumentar ao máximo o cadastro dos ex-alunos, pois os benefícios são mútuos”.

Plataforma Alumni USP disponível no endereço www.alumni.usp.br - Foto: Reprodução

Instruções na pós-graduação

A diretora da Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da USP, em São Paulo, Mônica Yassuda, comemora os 42% de egressos cadastrados e diz que, atualmente, analisa, junto com presidentes de comissões estatutárias, a possibilidade de usar os dados da plataforma em ações de gestão.

Para alcançar esse resultado, a dirigente conta que a Comissão de Pós-Graduação tem trazido instruções no pós-defesa para o cadastramento na plataforma Alumni, e um dos programas exige do aluno a comprovação de inscrição na plataforma para dar continuidade à emissão de documentos do programa. Já para os alunos de graduação , o estímulo vem no dia da colação de grau, quando os alunos são informados sobre as possibilidades e vantagens do cadastro.

No entanto, a professora Mônica acredita que a plataforma pode ser ainda mais interessante e sugere que “ela traga dados mais detalhados sobre os ex-alunos, por curso, como, por exemplo, suas posições atuais e até uma ligação com o LinkedIn”.

Mônica Sanches Yassuda,  diretora da Escola de Artes, Ciências e Humanidades - Foto: Gabriel Almeida/EACH

Mônica Sanches Yassuda, diretora da Escola de Artes, Ciências e Humanidades - Foto: Gabriel Almeida/EACH

A história é feita por pessoas

“Para entendermos a situação e ações a serem tomadas é necessário manter o registro da história que é feita por pessoas, motivar nossos egressos para dizer onde estão e o que estão fazendo é alimentar nossa existência, por isso mantemos um serviço para motivar os egressos a se manterem vinculados com a instituição, não só participando de eventos promovidos por ela, como se cadastrando na plataforma”, conta o entusiasmado professor Vanderlei Salvador Bagnato, diretor do Instituto de Física de São Carlos, que tem atualmente 36,2% de ex-alunos cadastrados.

Para Bagnato, saber o que está ocorrendo com os egressos permite que a unidade conduza suas ações de formação dos alunos e, ainda, que dê apoio a eles para a  inserção no mercado de trabalho. “As informações trazidas pelos egressos nos permitem enxergar o que a sociedade precisa dos alunos que formamos, é uma forma de nos atualizarmos dia a dia para que cada vez mais isso possa ser feito com sucesso.”

Vanderlei Bagnato, diretor do Instituto de Física de São Carlos - Foto: Arquivo pessoal

O diretor dá como exemplo o direcionamento da formação, que anos atrás era feita para alimentar o mercado de trabalho essencialmente acadêmico, com pessoas capazes de ensinar e realizar pesquisas científicas de modo geral. 

Informações de egressos permitem enxergar o que a sociedade precisa deles- Foto: 123RF

Assim, diz o professor, a plataforma Alumni se mostra cada vez mais importante. “Informam onde e como estão atuando, por isso motivar maior adesão e atingir uma maior adesão é a meta. E os próprios egressos precisam enxergar o valor das informações que têm para nos transmitir.”

A plataforma Alumni foi fundada em 2015 por três alunos da Escola Politécnica (Poli) da USP: Etienne Cartolano, Allan Veiga e Marcelo Burdelis, com o objetivo de reunir ex-estudantes da graduação e da pós-graduação. Em 2018, a plataforma foi oficializada. Desde 2016 é coordenada pela professora Marina Helena Cury Gallottini.

Para se cadastrar, acesse: https://uspdigital.usp.br/alumni/index.php.