Podcast sobre saúde pública explica sucesso da gestão de resíduos sólidos em cidade dos Estados Unidos

Produzido pela Faculdade de Saúde Pública da USP, podcast “Saúde É Pública” inicia sua quarta temporada com episódio sobre descarte de lixo, apresentando um estudo na cidade de São Francisco, nos Estados Unidos

 Publicado: 26/03/2024
São Francisco é exemplo de sucesso em recuperação de resíduos sólidos – Foto: San Francisco Enviroment

.
As cidades do mundo estão gerando mais de 1 bilhão de resíduos sólidos por ano, com previsão de atingir 2 bilhões em 2025. E segundo dados da Organização das Nações Unidas, 33% desses resíduos não recebem tratamento adequado. Esses dados foram levantados na pesquisa realizada por Adriana Fonseca Braga, sob a orientação da professora Helena Ribeiro, do Programa de Pós-Graduação em Saúde Global e Sustentabilidade da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP. Elas são as convidadas do podcast Saúde É Pública, que está inaugurando a quarta temporada.

A partir do artigo Como São Francisco se tornou paradigma na gestão de resíduos sólidos urbanos, recém-publicado na Revista Tecnologia e Sociedade, as autoras abordam a questão dos resíduos sólidos e da reciclagem. O artigo faz um estudo de caso sobre o sistema de gerenciamento de resíduos sólidos urbanos de São Francisco (Califórnia, EUA), que possibilitou a ampliação das taxas de reciclagem, a diminuição dos desperdícios de recursos financeiros e a adequação da destinação final do lixo em geral. 

No podcast, disponível neste link, Adriana e Helena comentam de que forma esse caso de sucesso pode inspirar a gestão dos resíduos em cidades como São Paulo, por exemplo. O episódio também traz, além de dados alarmantes, um apanhado sobre o descarte correto de alguns materiais que quase sempre suscitam dúvidas, como vidros quebrados, aparelhos eletrônicos, medicamentos, óleo de cozinha, plásticos, isopores e até areias higiênicas de animais domésticos.

Estudo de caso

A pesquisa traz em detalhes questões de gerenciamento, tecnologia, ambiente institucional e políticas públicas que permitiram à cidade de São Francisco atingir a taxa de 84% de reciclagem de resíduos sólidos urbanos desde 2014, tornando-se assim um modelo para o mundo. De acordo com o artigo, a alta taxa de reciclagem é resultado de uma série de políticas públicas implementadas há mais de 20 anos naquela municipalidade. 

Entre as ações estão o não fornecimento de sacolas plásticas ao cliente por nenhum estabelecimento, a restrição da venda ou distribuição de água potável em garrafas plásticas de 620 milímetros ou menos, a proibição do uso de diversos tipos de isopor para embalagens de alimentos e o uso de materiais compostáveis ou recicláveis foram algumas das práticas adotadas que permitiram reduzir o uso desses resíduos.

Além disso, o sistema de separação, o reúso de materiais, tecnologias de reciclagem e de gerenciamento, além da legislação, engajamento da sociedade, continuidade de políticas públicas com objetivos claros, metas exequíveis e programas complementares conduziram ao sucesso do programa. O gerenciamento dos resíduos sólidos naquela cidade utiliza processos tecnológicos complementares, tecnologias sociais, obrigatoriedade de segregação dos resíduos sólidos na fonte geradora, constante fiscalização e motivação com veiculação de anúncios educativos, e continuidade de políticas públicas, de acordo com o texto. 

Ouça a entrevista abaixo ou acompanhe o podcast Saúde É Pública, que está disponível em diversos aplicativos, incluindo Spotify e Youtube.

 

Acesse o estudo na íntegra clicando aqui.

.

*Com informações da Assessoria de Imprensa da FSP


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.