Família de voluntários restaura e doa brinquedos para crianças em hospital de Bauru

Iniciativa integra o projeto Brilho nos Olhos, que arrecada, restaura e doa brinquedos e outros itens para crianças em tratamento no Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais

 05/12/2023 - Publicado há 3 meses
A técnica de apoio educativo Sheila Garcia e a voluntária Ana Rosa Pinheiro Gonçalves entregam brinquedo a criança na Recepção da Unidade Centrinho – Foto: Serviço de Educação e Terapia Ocupacional/HRAC

.
Por Tiago Rodella*

Hospitais são um campo fértil para a atuação de voluntários, cujo Dia Internacional é comemorado dia 5 de dezembro. Em outubro, mês dos pequenos, pacientes do Centrinho-USP, que integra o Hospital das Clínicas de Bauru, foram surpreendidos com um presente inusitado e doado com muito amor e pureza: cartinhas com desenhos feitas por crianças carentes.

“Meu querido amiguinho, sou Luis Gustavo, quero que você tenha um feliz Dia das Crianças. Sou uma criança feliz, quero que você seja feliz também! Com carinho”, diz a cartinha ilustrada com um desenho alegre e bem colorido de um garoto correndo pelo campo, um dos presentes recebidos pelas crianças atendidas na unidade.

A iniciativa faz parte do projeto Brilho nos Olhos, desenvolvido por uma família de voluntários de Bauru que arrecada, restaura e doa brinquedos e outros itens. Esta é a segunda vez que as crianças atendidas no Centrinho recebem os brinquedos.

Neste ano, entretanto, além de 137 brinquedos – distribuídos também na Pediatria da Unidade Clínicas -, a iniciativa contou com a doação de 17 cartinhas com desenhos feitas por crianças assistidas pelo Patronato São Francisco de Assis, organização filantrópica de Garça (SP), cidade próxima a Bauru com a qual a família de voluntários tem ligação.

A entidade presta apoio socioeducativo a cerca de 180 crianças e adolescentes de 6 meses a 14 anos de idade provindos de famílias de baixa renda e em situação de vulnerabilidade social, as quais também recebem orientação e apoio, por meio de reuniões periódicas e cursos de capacitação e profissionalização.

“Este ano arrecadamos muitos brinquedos em Garça, e também fizemos doações, inclusive no Patronato. Uma amiga que é professora na entidade – e que ajudou muito na arrecadação – comentou que as crianças queriam fazer e enviar cartinhas, e foi lindo. Chorei muito quando vi as cartas e desenhos. Muitas delas não tinham brinquedos, mas tinham amor e carinho para doar”, conta a secretária Rosana Pinheiro Gonçalves, 48, idealizadora do projeto.

Cartinhas com desenhos feitas por crianças carentes – Foto: Serviço de Educação e Terapia Ocupacional/HRAC

.
Outro momento de muita emoção e boas energias para Rosana foi quando ela e sua mãe, Ana Rosa Pinheiro Gonçalves, 72, participaram da entrega dos brinquedos e cartinhas para as crianças no Centrinho.

“Foi demais! Já admirava o trabalho realizado pelo Centrinho, que é referência e leva o nome de Bauru mundo afora. Depois de conhecer pessoalmente, de ter contato com as pessoas, e de saber mais detalhes de como surgiu o hospital e de toda a sua história, passei a admirar ainda mais a instituição, os profissionais – que trabalham com tanto amor -, e as famílias que são atendidas. Que força têm essas mães e pais que vêm de todos os cantos do País em busca do melhor para seus filhos”, ressalta Rosana.

Além do Centrinho, o projeto já realizou doações para projetos sociais e entidades assistenciais, como o Patronato de Garça, a Casa da Sopa de Bauru e a Profis, Associação de pais e pessoas com fissura labiopalatina.

Alegria e alento

O projeto Brilho nos Olhos teve início em 2022. “Eu me sinto tão privilegiada, tenho uma vida e família tão boas que senti a necessidade de agradecer a Deus ‘colocando a mão na massa’, talvez porque sempre vi minha mãe envolvida com projetos sociais. Ano passado tirei o projeto da gaveta, inicialmente na Páscoa, fazendo e doando ovos de chocolate, e com arrecadação em dinheiro para compra de mercado para asilo”, relata Rosana.

“A intenção é levar alegria e alento para aqueles que precisam. Além de brinquedos, também recebemos e doamos roupas, acessórios, sapatos, mochilas, livros. Procuramos fazer campanhas que possam atender vários públicos, idades e necessidades”, explica.

As técnicas de apoio educativo Izabela Trindade e Sheila Garcia, à frente; Márcia Almendros Moraes, terapeuta ocupacional, ao centro; e as voluntárias Ana Rosa Pinheiro Gonçalves (de preto) e Rosana Pinheiro Gonçalves (de amarelo) – Foto: Serviço de Educação e Terapia Ocupacional/HRAC

.
Para as ações do projeto – que já alcançaram mais de 1.300 crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos – Rosana conta com a ajuda da mãe, Ana Rosa, e do pai, João Batista Gonçalves, 74. “Eu faço a parte de captação, busco. Minha mãe lava, limpa, faz os vestidinhos. Meu pai busca, entrega e faz outras coisas que pedimos. Este ano ele arrumou cinco violões que estavam com as cordas soltas.”

Rosana conta que a família recebe doações durante o ano inteiro. “É feita uma separação do que pode ser doado e será embrulhado para presente. Tudo é lavado, minha mãe lava os cabelos das bonecas e elas ficam de molho no amaciante, um verdadeiro spa”, diverte-se. “As pelúcias vão para a máquina de lavar, tem brinquedos que estão tão novos que só um paninho com álcool já está ótimo”, completa.

Para saber mais ou para colaborar com o projeto Brilho nos Olhos, acesse o perfil no Instagram (@projetobrilhonosolhos).

.

* Da Assessoria de Imprensa da USP em Bauru


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.