Prêmio USP de Direitos Humanos homenageia Eva Blay e Faculdade Zumbi dos Palmares

Prêmio é concedido a pessoas e instituições que tenham contribuído para a difusão, disseminação e divulgação dos direitos humanos no Brasil

Editorias: Institucional - URL Curta: jornal.usp.br/?p=286381
Eva Blay é socióloga e uma das pioneiras e principais estudiosas na área de direitos humanos e relações sociais de gênero – Foto: Cecília Bastos/USP Imagens – Foto: Cecília Bastos/USP Imagens

A Professora Emérita da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH), Eva Blay, e a Faculdade Zumbi dos Palmares são os homenageados na 16ª edição do Prêmio USP de Direitos Humanos.

A cerimônia de entrega do prêmio será realizada no dia 27 de novembro, às 10h, na Sala do Conselho Universitário, localizada na Rua da Reitoria, 374, Cidade Universitária, em São Paulo.

O Prêmio USP de Direitos Humanos foi criado pela Comissão de Direitos Humanos da Universidade em 2000, com o objetivo de identificar e homenagear pessoas e instituições que, por suas atividades exemplares, tenham contribuído significativamente para a difusão, disseminação e divulgação dos direitos humanos no Brasil.

Premiada na categoria individual, Eva Blay é socióloga e uma das pioneiras e principais estudiosas na área de direitos humanos e relações sociais de gênero. Criou os primeiros cursos de graduação e pós-graduação sobre a mulher na USP. Foi fundadora e presidente do Centro de Estudos Rurais e Urbanos (Ceru) na década de 1980. Fundou e foi coordenadora científica do Núcleo de Estudos da Mulher e Relações Sociais de Gênero (Nemge).

Suas linhas de pesquisa concentram-se em relações sociais de gênero: sexualidade, democracia, identidade, juventude, participação política, relações internacionais, violência contra a mulher, participação política e gênero, trabalho feminino, habitação popular, planejamento urbano, imigração e imigração judaica.

Aposentou-se em 2007, mas continua atuante como professora sênior na Pós-Graduação do Departamento de Sociologia da FFLCH e na Faculdade de Direito, no curso multidisciplinar de Direitos Humanos. Além da atuação acadêmica, foi a primeira presidente do Conselho Estadual da Condição Feminina do Estado de São Paulo (1983-1985) e senadora da República (1992-1995).

De 2016 a 2019, coordenou o Escritório USP Mulheres, iniciativa criada pela Universidade para integrar o movimento ElesPorElas (HeForShe), desenvolvido pela ONU Mulheres, instituição das Nações Unidas dedicada a projetos na área de igualdade de gêneros e empoderamento das mulheres.

O professor José Vicente é reitor da Faculdade Zumbi dos Palmares – Foto: Cecília Bastos/USP Imagens

A Faculdade Zumbi dos Palmares, homenageada na categoria institucional, foi criada em 2003 pela organização não governamental Afrobras – Sociedade Afro-Brasileira de Desenvolvimento Sociocultural. Tem como reitor o advogado e sociólogo José Vicente.

Localizada na cidade de São Paulo, a instituição oferece cursos de administração, direito, gestão de recursos humanos, gestão de segurança privada, logística, pedagogia, publicidade e propaganda, segurança da informação e tecnólogo em transportes terrestres, todos noturnos. Reúne cerca de 1.800 estudantes, dos quais quase 90% autodeclarados como afrodescendentes.

Sem fins lucrativos, tem como missão promover “a inclusão e a formação qualificada de profissionais comprometidos com os valores da ética, da dignidade da pessoa humana e da diversidade étnico-racial”.

Edição passada

Em 2018, o prêmio foi concedido ao antropólogo e professor da FFLCH,  Kabengele Munanga, que desenvolveu pesquisas nas áreas de Antropologia da África e da População Afro-Brasileira, com ênfase em temas como o racismo, políticas e discursos antirracistas, negritude, identidade negra versus identidade nacional, multiculturalismo e educação das relações étnico-raciais, e foi um dos protagonistas no debate nacional em defesa das cotas e ações afirmativas.

(Da esq. p/ dir.) O presidente da Comissão de Direitos Humanos, José Gregori; o reitor da USP, Vahan Agopyan; o professor Kabengele Munanga, e a professora da Faculdade de Direito, Eunice Prudente, na cerimônia de premiação promovida em 2018 – Foto: Marcos Santos/USP Imagens

A Comissão de Direitos Humanos da USP é presidida pelo ex-ministro da Justiça, José Gregori, e formada pelos professores Maria Hermínia Tavares de Almeida e Pedro Bohomoletz de Abreu Dallari (Instituto de Relações Internacionais), Ricardo Alexino Ferreira e Vitor Souza Lima Blotta (Escola de Comunicações e Artes), Eunice Aparecida de Jesus Prudente (Faculdade de Direito), Taís Gasparian (Instituto de Estudos Avançados), Paulo Santos de Almeida (Escola de Artes, Ciências e Humanidades), Gustavo Gonçalves Ungaro (Ouvidoria Geral do Estado de São Paulo), Júlio César Botelho (Ministério Público de São Paulo), Egídio Lima Dorea (representante dos funcionários) e Juliana Barbosa de Souza Godoy (representante dos alunos).

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.