Com 54,1% de ingressantes de escolas públicas, vestibular 2023 foi o mais inclusivo da história da USP

Dos 10.662 estudantes de graduação que ingressaram em 2023, 54,1% são oriundos de escolas públicas e 27,2% são pretos, pardos e indígenas

 15/05/2023 - Publicado há 9 meses     Atualizado: 22/05/2023 as 16:38

Texto: Erika Yamamoto

Arte: Carolina Borin Garcia

Mais da metade dos estudantes aprovados no vestibular 2023 da USP são oriundos de escolas públicas. Das 10.662 vagas preenchidas, 5.714 são de alunos que cursaram todo o ensino médio em escolas públicas (EP), ou seja, 54,1%, sendo que 2.020 estudantes são também do grupo Pretos, Pardos e Indígenas (PPI).

Trata-se do maior porcentual atingido pela Universidade desde o início da política de reserva de vagas destinadas a esses estudantes, aprovada pelo Conselho Universitário em 2017. As cotas foram adotadas de forma escalonada desde o vestibular de 2018, até atingir 50% das vagas reservadas para candidatos oriundos de escolas públicas.

Sobre a reserva de vagas para escolas públicas também incide o porcentual de 37,5% de cotas para estudantes autodeclarados PPI, índice equivalente à proporção desses grupos no Estado de São Paulo verificada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

“Podemos afirmar que as políticas de ação afirmativa para ingresso de estudantes na USP atingiram seus objetivos, ampliando significativamente a pluralidade do nosso alunado. A diversidade hoje vista entre os discentes é enriquecedora, ao nos aportar diferentes vivências e perspectivas do ponto de vista étnico-racial, socioeconômico, de origem geográfica no País e de perfil de escolaridade pré-universitária. Segmentos historicamente sub-representados no corpo discente da Universidade fazem, hoje, parte de uma renovada comunidade acadêmica.”

EVOLUÇÃO DA INCLUSÃO SOCIAL

Vestibular 2018

41,2% EP

22,9% PPI

Vestibular 2019

42% EP

25,4% PPI

Vestibular 2020

47,7% EP

26,1% PPI

Vestibular 2021

51,8 % EP

27,5% PPI

Vestibular 2022

51,7% EP

26,2% PPI

Vestibular 2023

54,1% EP

27,2% PPI

+ Mais

Em sessão temática, Conselho Universitário discute a graduação na Universidade

No saldo final, o vestibular 2023 preencheu 10.662 das 11.147 vagas oferecidas, ou seja, 95,6% das vagas. As vagas remanescentes são disponibilizadas para transferência interna, transferência externa e para candidatos portadores de diploma de curso superior.

Os dados foram divulgados pela Pró-Reitoria de Graduação durante a sessão temática do Conselho Universitário que aconteceu no dia 25 de abril e discutiu as propostas e os desafios da Graduação na Universidade.

Reserva de vagas

A adoção das políticas de inclusão tem alterado o perfil socioeconômico dos estudantes da Universidade, tornando-o mais diverso e inclusivo.

Uma novidade do vestibular 2023 foi a alteração na classificação dos estudantes inscritos para as políticas afirmativas. Neste ano, todos os candidatos concorreram, primeiramente, às vagas destinadas à Ampla Concorrência (AC), independentemente da categoria em que se inscreveram. Dessa forma, foram preenchidas antes as vagas para Ampla Concorrência, depois as vagas para Escola Pública, seguindo os critérios para essas vagas, e só depois as vagas para PPI.

A alteração foi adotada com o objetivo de ampliar as possibilidades dos candidatos EP e PPI, já que, além das vagas reservadas para cada grupo, esses candidatos disputaram também as vagas de ampla concorrência.

“A mudança na forma de classificação contribuiu para o aumento da quantidade de ingressantes egressos da escola pública e autodeclarados PPI. 342 candidatos também optantes pela categoria EP foram aprovados na AC. Quanto aos candidatos também optantes pela categoria PPI, 31 ingressaram na AC e 236 na EP. Extrapolando as vagas inicialmente reservadas, a modificação implementada abriu a possibilidade para 609 ingressantes oriundos da escola pública, dentre os quais, 267 autodeclarados PPI.”

Garantindo a permanência dos estudantes

O crescente aumento do número de estudantes ingressantes com necessidades socioeconômicas tem demandado mais esforços no que se refere às ações da política de permanência da Universidade, que disponibiliza, entre outras iniciativas, vagas nas moradias estudantis, auxílios e bolsas aos estudantes e subsídios para transporte e alimentação.

No final do ano passado, o Conselho Universitário aprovou o aumento de 58% nos recursos para o Programa de Apoio à Permanência e Formação Estudantil (Papfe). Ao todo, em 2023, a USP investirá R$ 188 milhões em ações voltadas a estudantes de graduação e de pós-graduação com necessidades socioeconômicas. A seleção dos estudantes contemplados pelo programa é feita por avaliações socioeconômicas.

“O aumento da diversidade do perfil dos nossos estudantes e a ampliação das situações de vulnerabilidade socioeconômica tornam cada vez mais necessárias as políticas e programas de permanência estudantil que garantam o pertencimento efetivo de todos os estudantes à USP”, explicou a pró-reitora de Inclusão e Pertencimento, Ana Lúcia Duarte Lanna.

O Papfe integra a política de permanência da USP e tem o objetivo de diminuir a evasão causada por dificuldades socioeconômicas, garantindo aos estudantes selecionados as condições necessárias para continuarem seus cursos. O programa oferece um auxílio-permanência no valor de R$ 800, para os alunos que não forem contemplados com vaga nas moradias estudantis da USP, e um no valor de R$ 300, para os estudantes com vaga nas moradias. O benefício é pago durante todo o tempo de realização do curso e também inclui refeições gratuitas nos restaurantes universitários.

Além dos auxílios do Papfe, a Universidade também tem estimulado a participação da sociedade civil no processo de inclusão e permanência estudantil por meio de iniciativas como o USP Diversa.

USP Diversa

Criado em 2022, o USP Diversa é um programa de doação para pessoas físicas e jurídicas que tenham interesse em financiar bolsas para estudantes de graduação em situação de vulnerabilidade socioeconômica.

+ Mais

Marisa Monte será embaixadora do programa de bolsas USP Diversa

No caso de empresas, a adesão ao programa significa o compromisso de oferecer apoio para o período completo da graduação a um número previamente definido de estudantes. Já as pessoas físicas podem escolher apoiar de forma recorrente ou única e determinam previamente o período de sua participação.

Empresas como Itaú, Santander, Deutsche Bank e Dow Química já aderiram ao programa, totalizando, nesta primeira etapa, o oferecimento de mais de 270 auxílios, no valor de R$ 800 mensais. O investimento total está estimado em R$ 10 milhões.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.