Em 2020, foram realizadas 168.546 publicações científicas sobre covid-19. O Brasil, com 4.029 publicações, é responsável por 2,39% da produção mundial, sendo o 11o país que mais publicou. Com 729 publicações, a USP responde por 18,5% da produção brasileira, e é a 16a instituição que mais publicou sobre covid-19 no mundo – Arte de Moisés Dorado/Jornal da USP sobre exemplos de publicações científicas

USP está entre as 20 instituições que mais publicam sobre covid no mundo

Levantamento sobre publicações científicas relacionadas com a covid em todo o mundo mostra a USP na 16ª posição

29/10/2020
Texto: Júlio Bernardes
Arte: Moisés Dorado

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Em todo o mundo, foram realizadas 168.546 publicações científicas sobre covid-19 neste ano de 2020, de acordo com os registros da base de dados da plataforma Dimensions. Desse total, 4.029 publicações são do Brasil, o que representa 2,39% de toda a produção mundial, colocando o País na décima primeira posição em número de publicações sobre a doença, à frente de países como Holanda, Suíça e Japão. Entre os pesquisadores brasileiros, a contribuição da USP é significativa, com 729 publicações, o que representa 18,5% de toda a produção nacional. A USP também é a instituição de pesquisa do Brasil com maior número de publicações e a 16ª em todo o mundo.

As informações fazem parte de um levantamento realizado pela Agência USP de Gestão da Informação Acadêmica (AGUIA), a pedido da Pró-Reitoria de Pesquisa da USP a partir das informações da plataforma Dimensions. “É uma base de dados internacional mantida pela Digital Science em parceria com a Springer Nature”, explica Elisabeth Dudziak, da AGUIA. “Ela indexa todas as publicações que possuem o Digital Object Identifier (DOI) da Crossref (número que identifica publicações digitais) ativado, com atualizações diárias”.

Brasil está em 11º lugar em número de publicações sobre covid-19

Publicações científicas do Brasil representam 2,39% de toda a produção mundial sobre covid-19

Até o último dia 17 de outubro foram produzidas e registradas 168.546 publicações sobre covid-19 no ano de 2020 em todo o mundo. A maior parte das publicações são artigos (132.406) e pre-prints (29.349), que são versões prévias de textos científicos. A plataforma não inclui dissertações e teses. Do total de publicações registradas, 90.961 são sobre ciências médicas e da saúde, 8.850 sobre ciências biológicas e 8.234 sobre sociologia. Os países com maior número de publicações são Estados Unidos (34.129), China (15.990) e Reino Unido (14.724). Com 4.029 publicações, o que representa 2,39% da produção mundial, o Brasil é o 11º pais que publicou trabalhos sobre covid-19, à frente de países como Holanda (2.576 publicações), Suíça (2.556) e Japão (2.351).

Segundo o professor Sylvio Canuto, pró-reitor de Pesquisa da USP, os números da plataforma Dimensions confirmam o bom desempenho da produção científica brasileira no contexto mundial. “No ano passado, um levantamento baseado na plataforma Web of Science mostrou que, entre 2013 e 2018, o Brasil foi o 13º país no mundo que mais publicou artigos científicos e revisões de pesquisa”, aponta. “Neste ano, em um período de oito meses, no que diz respeito à covid-19, os pesquisadores brasileiros conseguiram não só manter como melhorar sua performance.”

Ranking mundial de publicações sobre a covid-19 por instituição de pesquisa

1ª - Universidade de Harvard - Estados Unidos

1.526

2ª - Universidade de Oxford - Reino Unido

1.229

3ª - Universidade Johns Hopkins (JHU) - Estados Unidos

1.099

4ª - Universidade de Toronto - Canadá

1.092

5ª - Colégio Universitário de Londres (UCL) - Reino Unido

1.076

6ª - Huazhong Universidade de Ciência e Tecnologia (HUST) - China

999

7ª - Colégio Imperial de Londres - Reino Unido

866

8ª Universidade de Milão (UNIMI) - Itália

811

9ª - Universidade Stanford (SU) - Estados Unidos

807

10ª - Universidade de Washington (UW) - Estados Unidos

793

16ª - Universidade de São Paulo (USP) - Brasil

729

A USP encontra-se na 16ª posição em nº de publicações sobre covid-19 - Fonte: Dimensions (17/10/2020)

Pesquisa brasileira

No Brasil, a plataforma Dimensions registra 4.029 publicações sobre covid-19 em 2020, a maior parte delas artigos (3.542) e preprints (468). A maioria dos trabalhos publicados é das áreas de ciências médicas e da saúde (2.204), ciências biológicas (207) e sociologia (183). Entre as instituições de pesquisa brasileiras, a USP tem a maior produção, com 729 publicações, o que representa 18,5% do total nacional, a maior parte artigos (637) e preprints (88). Na sequência, estão a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), com 261 publicações, e a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com 237 publicações.

Em todo o mundo, a USP é a 16ª instituição com maior número de publicações sobre covid-19, à frente das universidades de Columbia e Yale, nos Estados Unidos, com 727 e 721 publicações, e Cambridge, no Reino Unido, com 628 publicações. As líderes do ranking são as universidades de Harvard (Estados Unidos), com 1.526 publicações, e Oxford (Reino Unido), com 1.229 publicações. A maior parte das publicações da USP se concentra nas áreas de ciências médicas e da saúde (452 publicações), ciências biológicas (43 publicações), sociologia (26 publicações), ciências da computação e informação e engenharia (13 citações cada).

Principais instituições de pesquisa brasileiras por número de publicações

Fonte: Dimensions (17/10/2020)

“A USP foi capaz de oferecer uma resposta rápida ao novo desafio representado pela covid-19, pois os grupos de pesquisa rapidamente se reposicionaram para se dedicarem ao enfrentamento da pandemia”, aponta o pró-reitor de Pesquisa. “Dessa forma, a USP apresentou um número robusto de publicações, à frente de instituições tradicionais dos Estudos Unidos e Europa, mantendo o desempenho verificado em avaliações como a do ranking de produção científica do Centro de Estudos em Ciência e Tecnologia (CWTS), da Universidade de Leiden, na Holanda, que em 2019 classificou a USP em oitavo lugar entre 963 universidades de todo o mundo.”

O pró-reitor destaca que apesar do predomínio de estudos nas áreas de ciências biológicas e da saúde, pesquisadores de outras áreas do conhecimento tiveram participação importante na produção científica da USP. “No início da pandemia, a Pró-Reitoria de Pesquisa realizou um levantamento que identificou 200 grupos envolvidos em pesquisas sobre covid-19 na Universidade”, ressalta Canuto. “Além de pesquisas sobre vacinas e reposicionamento de fármacos, houve uma participação importante de pesquisadores de matemática e ciências da computação, desenvolvendo modelos para entender a disseminação da doença, de engenharia, com a produção de respiradores, psicologia e ciências cognitivas, entre outros.”

Número de publicações do Brasil sobre o assunto por área de pesquisa

Pesquisadores brasileiros mais publicados

NomePublicações
Marta Giovanetti 26
Julio Henrique Rosa Croda20
Massimo Ciccozzi18
George Kroumpouzos18
Paulo Ricardo Saquete Martins-Filho16

Pesquisadores brasileiros mais citados

NomeCitações
Marta Giovanetti 633
Massimo Ciccozzi600
Silvia Angeletti598
Julio Henrique Rosa Croda475
Djane Clarys Baia-Da-Silva412
Wuelton Marcelo Monteiro412

Entre os pesquisadores residentes no Brasil, o maior número de publicações foi feito por Marta Giovanetti, da Fiocruz, com 26 publicações, e Júlio Henrique Rosa Croda, também da Fiocruz, com 20 publicações. Os dois pesquisadores também lideram em número de citações, com 633 e 475 menções, respectivamente. Os pesquisadores da USP que mais publicaram sobre covid-19 são Ester Sabino, do Instituto de Medicina Tropical de São Paulo (IMTSP) e da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP), com 15 publicações, ocupando a quarta posição entre os cientistas que atuam no Brasil que mais publicaram, e Edison Luiz Durigon, do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB), com 14 publicações. Em número de citações, os pesquisadores da USP mais mencionados são Marisa Dolhnikoff e Amaro Nunes Duarte Neto, com 169 citações, Thais Mauad, com 165 citações, e Paulo Hilário Nascimento Saldiva, com 163 citações, todos da FMUSP.

Principais áreas de pesquisa da USP por números de publicações

Principais pesquisadores da USP por nº de publicações

NomePublicações
Ester Cordeiro Sabino 16
Edison Luiz Durigon15
Ludhmila Abrão Hajjar12
Werther Brunow de Carvalho11
Helder Imoto Nakaya10

Pesquisadores da USP mais citados

NomeCitações
Marisa Md Dolhnikoff 169
Amaro Nunes Duarte-Neto169
Thais Mauad169
Paulo Hilário Nascimento Saldiva163
Helder Imoto Nakaya105


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.