Reposição hormonal pode ter relação com a demência

Novo estudo demonstra que tratamento aumenta em até 17% o risco de Alzheimer

Na coluna de hoje, o médico Alexandre Faisal explica que, para mulheres que estão na pós-menopausa, a terapia de reposição hormonal é comprovadamente eficaz, ajudando no excesso de calor e no ressecamento vaginal. No entanto, não é uma terapia isenta de riscos.

Um estudo finlandês da Universidade de Helsinque mostrou que a reposição hormonal pode ter relação com a demência. “Os autores mostram que o uso dessa modalidade de tratamento aumentou em até 17% o risco da doença de Alzheimer”, explica Faisal.

Outro resultado que ele julga relevante é o fato de que, nas mulheres com menos de 60 anos que haviam iniciado a terapia de reposição hormonal, o aumento de risco era maior se fosse mantida por um período superior a dez anos de uso. Ainda sim, não houve associação de estrogênio vaginal com o risco de Alzheimer.

Em termos numéricos, Faisal esclarece que o número de casos ainda é muito baixo. “A dica que fica é discutir com seu médico os prós e contras de cada modalidade de tratamento, facilitando a tomada de decisão.”

Para saber mais, ouça a coluna na íntegra no player acima.


Saúde Feminina
A coluna Saúde Feminina, com o professor Alexandre Faisal, vai ao ar toda quinta-feira às 10h, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.