Incubadora da USP em Piracicaba apoia empreendedores do agronegócio

Atualmente, são 100 projetos que recebem consultorias em gestão e orientações para obter recursos financeiros

Representantes de empresas incubadas durante a primeira Feira EsalqShow, em 2017 – Foto: Acervo EsalqTec

A EsalqTec, incubadora tecnológica da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) USP, em Piracicaba, atingiu a marca de 100 projetos apoiados simultaneamente, contemplados em três categorias: pré-incubadas, incubadas residentes e associadas.

A incubadora é um programa iniciado em 2005 pela Esalq e a Fundação de Estudos Agrários Luiz de Queiroz (Fealq). Neste período, acompanhou a evolução do ambiente das tecnologias e inovações, com destaque para diversas vertentes, como o controle biológico de pragas e outras tecnologias de produção sustentável para o agronegócio. Atualmente, a chamada Agricultura Digital é a grande novidade, com produtos e serviços que utilizam a Internet das Coisas (IoT) e diversas tecnologias embarcadas em máquinas e implementos, como drones e sensores.

Responsável por dar suporte a micros e pequenas empresas ligadas à cadeia produtiva do agronegócio, a EsalqTec oferece, além do espaço para laboratórios e escritórios, o apoio aos empreendedores por meio de consultorias em gestão e orientações para obter recursos financeiros para pesquisa, como também uma maior visibilidade do projeto, através de participação em eventos como o AgTechDay, Prêmio Empreendetec e EsalqShow, no site e nas demais mídias.

Empresas que nasceram na EsalqTec, como a Delta CO2, Ecomol, @Tech, Agrosafety e Promip, são exemplos do sucesso e continuam inovando e conquistado o mercado. Além disso, é notória a relevância científica dos projetos incubados, atestados pelo apoio da Fapesp e Finep.

“A EsalqTec tem contribuído positivamente para o nosso projeto ao propiciar um ambiente de interação com outras startups e pela exposição diante da mídia, de investidores, autoridades e agentes de inovação. Vale ressaltar, também, que ao ser um empresa residente na EsalqTec, a empresa tem um ganho de credibilidade visto o histórico de empresas bem-sucedidas que saíram da incubadora e hoje estão fazendo muito sucesso” diz Marcelo Coutinho, fundador da Brazil Beef Quality, empresa residente na incubadora.

O apoio do seu Conselho Deliberativo foi um dos fatores fundamentais: “Na qualidade de presidente recém-empossado, junto ao Conselho Deliberativo da EsalqTec, me sinto honrado em assumir tal função em um momento especial como este, quando a marca de 100 projetos é atingida. Marca essa reflexo do trabalho pioneiro e incansável dos que me antecederam, bem como da gerência da incubadora. Obviamente, assumir em um momento tão significativo aumenta ainda mais a responsabilidade dos integrantes do Conselho Deliberativo”, diz o professor Sérgio Pascholati, presidente do novo conselho.

Segundo Pascholati, uma atenção especial deve ser dada à incubadora nesta nova fase para que o crescimento mantenha-se contínuo. “Em termos de futuro, temos que repensar os objetivos e a estrutura da EsalqTec para que o sucesso conseguido até o momento seja mantido, visto que a inovação no agronegócio é bastante versátil. Além disso, executar ações para que a incubadora continue a ser lembrada em termos nacionais e internacionais, como modelo de incubadora tecnológica de ponta” afirma.

Para Klever José Coral, superintendente da Cooperativa dos Plantadores de Cana do Estado de São Paulo (Coplacana), a parceria com a EsalqTec é muito importante. “A Coplacana, dentro da comemoração dos seus 70 anos, sente-se honrada em fazer parte como 100° empresa associada à incubadora, hub de informações e inovações, disseminadora ao agro, isso tudo dentro do AgroValley Piracicaba. Podemos concluir que o sucesso é certo” diz.

Caio Albuquerque / Assessoria de Comunicação da Esalq
Com informações da EsalqTec

Textos relacionados