Centro na USP traz alternativas para tratar desequilíbrios celulares

Centro de inovação em Biomedicina da USP usa processo de redução da oxidação para tratamento de doenças

jorusp

Nesta semana, o Momento USP Inovação traz uma entrevista com os professores Paolo Di Mascio e Mauricio Baptista, do Centro de Pesquisa de Processos Redox em Biomedicina, o Cepid Redoxoma, falando a respeito de reações que envolvem transferência de elétrons, a redução-oxidação – conhecida como redox. Esse processo pode acarretar diversas doenças, entretanto, estudos e pesquisas apontam que é possível propor formas de cura.

O processo também é comum no meio ambiente, quando os gases geram desequilíbrio, como comenta Mauricio Baptista. Segundo ele, o Cepid Redoxoma se propõe a estudar o mecanismo de geração das espécies, qual a reatividade das moléculas, como o sistema biológico responde a essas diferenças e as aplicações dos estudos.

A aplicação das pesquisas desenvolvidas neste Cepid se dá através da utilização desses processos para a cura de doenças. O professor Baptista explica, por exemplo, a utilização da luz para a estimulação dessas reações. Um dos casos é o tratamento do pé diabético, que evita amputações através da terapia fotodinâmica. O processo redox pode ser utilizado também como alternativa à quimioterapia.

“Todos os processos de redução de oxidação estão envolvidos em mandar mensagens dentro das células para que outros processos aconteçam no metabolismo”, explica Mascio. O Redoxoma trabalha para identificar os principais fatores envolvidos no desbalanço das reações redox. “Se entendemos o mecanismo, podemos propor uma rota para resolver essa doença”, acrescenta Baptista.

Jornal da USP no Ar, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados, Faculdade de Medicina e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.

Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93,7, em Ribeirão Preto FM 107,9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular. Você pode ouvir a entrevista completa no player acima.

Textos relacionados