Proximidade do segundo turno das eleições aumenta tensão política

Para André Singer, a recusa de Bolsonaro em participar dos debates contribui para o aumento dessa tensão

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Faltando dez dias para as eleições do segundo turno, o cientista político André Singer externa em sua coluna algumas considerações em torno da democracia brasileira. Ele se refere especialmente ao candidato Jair Bolsonaro – que ocupa a primeira posição nas pesquisas de intenção de voto para o segundo turno das eleições para presidente da República -, cujas posições em torno de certos temas levaram alguns analistas a colocar em cheque o compromisso do candidato do PSL quanto às instituições democráticas.

Também não ajuda o fato de Bolsonaro, alegando ainda estar em fase de recuperação após o atentado que sofreu,  não querer participar dos debates, o que pode ser interpretado como uma tática de campanha. Com isso, os eleitores ficam sem saber realmente o que esperar das propostas e ideias do candidato. Por outro lado, o petista Fernando Haddad não chegou a consolidar plenamente sua proposta de formar uma frente democrática em torno de sua candidatura, apesar de ter recebido apoios aqui e ali, porém insuficientes, segundo Singer, para formar uma reação mais forte às preocupações – crescentes numa parcela da opinião pública – quanto ao futuro da democracia do País.

Ouça no link acima a íntegra da coluna Poder e Contrapoder.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados