Peça do francês Eugène Gigout é executada no órgão da USP

Interpretação é da aluna da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP Isabella de Carvalho

 11/11/2020 - Publicado há 1 ano

Assista no link abaixo à apresentação da Toccata em Si Menor, do compositor francês Eugène Gigout (1844-1925), interpretada pela organista Isabella de Carvalho, aluna do Departamento de Música da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP, ao órgão Gerhard Grenzing, da USP, instalado na Catedral Evangélica de São Paulo.

O som do órgão Gerhard Grenzing, que a USP adquiriu em 2013 por US$ 3 milhões e está instalado na Catedral Evangélica de São Paulo, pode ser ouvido na interpretação da Toccata em Si Menor, do compositor francês Eugène Gigout (1844-1925), feita pela organista Isabella de Carvalho, de 21 anos, aluna do Departamento de Música da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP, disponível no Youtube. Com 3.400 tubos de metal, o órgão foi inaugurado em março de 2019 graças a um convênio entre a Universidade, a Catedral Evangélica de São Paulo e a Fundação Mary Harriet Speers.

A Toccata em Si Menor, incluída no volume Dix Pièces pour Orgue, de 1890, é uma das mais famosas obras de Eugène Gigout, que foi aluno de Camille Saint-Saëns (1835-1921) e atuou como organista na Igreja de Santo Agostinho, em Paris, na França, por 62 anos.

A gravação da obra foi feita em outubro passado e, para exibi-la, Isabella criou um canal no Youtube. Postado no dia 6 passado, o vídeo já teve mais de 1,5 mil visualizações e meia centena de comentários.

Um desses comentários é especial: foi feito por um dos grandes compositores e pianistas da atualidade, o paulista José Carlos Amaral Vieira. No seu comentário, Amaral Vieira escreveu: “Interpretação exemplar de Isabella de Carvalho, que nos encanta e surpreende com o seu primeiro vídeo como organista postado no Youtube. Bravissima!!!”.

Estudante de piano desde os 4 anos de idade, Isabella foi aluna de Amaral Vieira quando tinha 16 anos e, inspirada pelo professor, decidiu que seria pianista. Em 2017, ela fez um curso extracurricular de órgão na USP, com o professor da ECA José Luís de Aquino, que também encantou a jovem musicista, a ponto de ficar em dúvida entre ser pianista ou organista. “Conversei com o professor Amaral Vieira, e ele me disse que os dois instrumentos se complementam e que eu seria uma pianista melhor se também estudasse órgão”, lembra Isabella. “Mas o principal argumento dele foi que eu estudaria com o melhor organista do Brasil, o professor José Luís de Aquino.”

Atualmente, Isabella está no terceiro ano do curso de Órgão do Departamento de Música da ECA e estuda piano na Escola Municipal de Música de São Paulo.

“Foi muito bom para o Brasil que esse órgão tenha vindo para cá”, afirma Isabella, destacando que o instrumento é “excelente”. “Ele tem muitos recursos sonoros, de modo que é possível tocar todo o repertório para órgão, desde o barroco até o romântico e os franceses do século 20, por exemplo.” Ela diz que, sempre que se senta ao órgão para ensaiar, agradece a Deus pela oportunidade única. “Eu valorizo muito a atuação do professor José Luís de Aquino, que trabalhou incansavelmente para que a parceria com a Catedral Evangélica de São Paulo desse certo e acompanhou todo o trabalho de instalação, montagem, afinação e harmonização do órgão na igreja.”

Isabella já planeja novas gravações para divulgar em seu canal no Youtube. Ainda sem data prevista de lançamento, o próximo vídeo trará a Tocata e Fuga em Ré Maior (BWV 565), do compositor alemão Johann Sebastian Bach (1685-1750).

Assista no link acima à apresentação da Toccata em Si Menor, de Eugène Gigout, pela organista Isabella de Carvalho.

LEIA MAIS

“Órgão de tubos da USP estreia seus sons nesta sexta-feira” (matéria publicada no Jornal da USP em 20 de março de 2019)


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.