Como morre uma estrela?

Supernovas, anãs brancas, gigantes vermelhas e buracos negros: o professor João Steiner nos conta um pouco desta fascinante trajetória celeste

 31/10/2016 - Publicado há 5 anos  Atualizado: 03/04/2017 as 13:50
Por

cab_steiner

logo_radiousp_790px
.

Nebulosa planetária NGC 3132, com anã branca no centro - Foto: Hubble
Nebulosa planetária NGC 3132, com anã branca no centro – Foto: Hubble

Dependendo da massa da estrela ela pode terminar de maneira suave, como uma anã branca, ou em uma explosão violenta, que é chamada de Supernova. Na morte das estrelas mais de maior massa, a ejeção de seu envoltório leva também elementos mais pesados para o meio interestelar, que enriquecem planetas e outras estrelas em formação.

Ouça na coluna Entender Estrelas desta semana na Rádio USP.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.