Por que a doação de corpos é importante para a ciência?

Nos cursos de saúde, contato com corpos humanos é fundamental para o aprendizado de milhares de estudantes

Texto: Crisley Santana
Fotos: Marcos Santos/USP Imagens
Arte: Beatriz Abdalla/Jornal da USP
06/11/2019

Escolher doar o corpo para a ciência é permitir que, ao morrer, seu corpo não seja enterrado ou cremado, mas utilizado em atividades de ensino e pesquisa. Significa contribuir para a formação de profissionais da saúde que precisam entender a anatomia humana a fundo e assim, garantir uma vida melhor do lado de cá.  

Entenda como funciona e por que a ciência precisa dessas doações:

Por que a doação de corpos é importante para a ciência?

Nos cursos de saúde, contato com corpos humanos é fundamental para o aprendizado de milhares de estudantes

Texto: Crisley Santana
Fotos: Marcos Santos/USP Imagens
Arte: Beatriz Abdalla/Jornal da USP
06/11/2019

Escolher doar o corpo para a ciência é permitir que, ao morrer, seu corpo não seja enterrado ou cremado, mas utilizado em atividades de ensino e pesquisa. Significa contribuir para a formação de profissionais da saúde que precisam entender a anatomia humana a fundo e assim, garantir uma vida melhor do lado de cá.  

Entenda como funciona e por que a ciência precisa dessas doações:

A tecnologia ainda não é capaz de substituir um corpo real

O estudo com corpos humanos ainda é imprescindível para uma formação de qualidade, principalmente por conta das variações anatômicas: em cada pessoa, a textura, cor e posição das veias podem ser diferentes, por exemplo. Simulações e modelos são importantes, mas ainda não dão conta desta complexidade. 

A falta de uma experiência completa pode levar os profissionais a cometerem erros em exames clínicos, diagnósticos ou cirurgias.

A tecnologia ainda não é capaz de substituir um corpo real

O estudo com corpos humanos ainda é imprescindível para uma formação de qualidade, principalmente por conta das variações anatômicas: em cada pessoa, a textura, cor e posição das veias podem ser diferentes, por exemplo. Simulações e modelos são importantes, mas ainda não dão conta desta complexidade. 

A falta de uma experiência completa pode levar os profissionais a cometerem erros médicos, especialmente em cirurgias. 

Não são apenas médicos que precisam de doações

Corpos são necessários nos diversos cursos da área da saúde, principalmente os que realizam cirurgias. A maior parte destes cursos envolve estudos anatômicos. Se beneficiam da utilização de corpos reais estudantes de:

• Medicina

• Enfermagem

• Odontologia

• Educação física

• Psicologia

• Fisioterapia

• Fonoaudiologia  

• Farmácia 

 

Arte de Beatriz Abdalla/Jornal da USP
Arte de Beatriz Abdalla/Jornal da USP sobre foto de Marcos Santos/USP Imagens
Arte de Beatriz Abdalla/Jornal da USP sobre foto de Marcos Santos/USP Imagens
Não são apenas médicos que precisam de doações
Arte de Beatriz Abdalla/Jornal da USP sobre foto de Marcos Santos/USP Imagens
Arte de Beatriz Abdalla/Jornal da USP sobre foto de Marcos Santos/USP Imagens

Corpos são necessários em diversos cursos da área da saúde, já que a maioria deles têm o  estudo anatômico em sua grade curricular. Se beneficiam da utilização de corpos reais cursos como:

• Medicina

• Enfermagem

• Odontologia

• Educação física

• Psicologia

• Fisioterapia

• Fonoaudiologia  

• Farmácia 

Arte de Beatriz Abdalla/Jornal da USP
Arte de Beatriz Abdalla/Jornal da USP
Os corpos podem ser usados por muitos anos

Não existe tempo limite para o uso dos corpos doados. Eles são conservados com substâncias químicas e sua duração não tem tempo determinado, ou seja, eles podem colaborar para a formação de profissionais por muitos e muitos anos.

Arte de Beatriz Abdalla/Jornal da USP sobre foto de Marcos Santos/USP Imagens
Os corpos podem ser usados por muitos anos

Não existe tempo limite para o uso dos corpos doados. Eles são conservados com substâncias químicas e sua duração não tem tempo determinado, ou seja, eles podem colaborar para a formação de profissionais por muitos e muitos anos.

É permitido por lei

O Código Civil brasileiro prevê a “disposição gratuita do próprio corpo, no todo ou em parte para depois da morte” com fins científicos ou altruísticos, decisão que pode ser revogada a qualquer momento. 

Qualquer pessoa maior de 18 anos pode tomar esta decisão. No caso de menores, é preciso haver o consentimento dos responsáveis legais. 

É permitido por lei

O Código Civil brasileiro prevê a “disposição gratuita do próprio corpo, no todo ou em parte para depois da morte” com fins científicos ou altruísticos, decisão que pode ser revogada a qualquer momento. 

Qualquer pessoa maior de 18 anos pode tomar esta decisão. No caso de menores, é preciso haver o consentimento dos responsáveis legais. 

Quais doações são aceitas?

O ideal é doar o corpo inteiro, mas alguns programas aceitam receber doações de partes separadas – segundo especialistas, isso dificulta o trabalho de preparação para uso devido aos cortes já sofridos e impedem a plenitude do estudo anatômico.

Corpos de pessoas que tenham sofrido doenças infecto-contagiosas podem não ser aceitos, porque órgãos e demais tecidos ficam comprometidos.

Arte de Beatriz Abdalla/Jornal da USP sobre foto de Marcos Santos/USP Imagens
Quais doações são aceitas?
Arte de Beatriz Abdalla/Jornal da USP sobre foto de Marcos Santos/USP Imagens

O ideal é doar o corpo inteiro, mas alguns programas aceitam receber doações de partes separadas – segundo especialistas, isso dificulta o trabalho de preparação para uso devido aos cortes já sofridos e impedem a plenitude do estudo anatômico.

Corpos de pessoas que tenham sofrido doenças infecto-contagiosas podem não ser aceitos, porque órgãos e demais tecidos ficam comprometidos.

Nem todos os programas aceitam, mas segundo a Lei 8.501 de 1992é possível a doação de corpos não reclamados, ou seja, corpos que não apresentam identidade e que, após 30 dias da morte, não tenham sido reivindicados por nenhum familiar. Caso o corpo tenha sofrido morte violenta, não poderá ser utilizado para fins de estudo e pesquisa – deve ser submetido a necropsia.

Como doar o corpo para a ciência?
Como doar o corpo para a ciência?
Procurar uma instituição e preparar os documentos
Procurar uma instituição e preparar os documentos

Várias escolas da área da saúde possuem programas para doação de corpos. É preciso ir até a instituição escolhida, assinar uma declaração de vontade e reconhecer firma deste documento em cartório. Uma via deve ficar na instituição e outra com o doador.

Avisar a família
Avisar a família

Alguns familiares também precisam assinar este documento, além de estarem cientes do desejo da pessoa, já que são eles os responsáveis por informar a instituição da morte do doador. 

Dependendo da instituição, a família é responsável pelo transporte do corpo. Consulte a instituição também sobre a possibilidade de realizar homenagens, como cerimônias e velórios, antes de o corpo ser doado. 

Na USP, quatro unidades possuem programas voltados à doação de corpos para a ciência. São elas:
Na USP, quatro unidades possuem programas voltados à doação de corpos para a ciência. São elas:
Instituto de Ciências Biomédicas (ICB)
SÃO PAULO

O ICB disponibiliza on-line todas as informações sobre o funcionamento do programa. É preciso baixar, preencher e assinar os modelos disponíveis no site e enviar, preferencialmente por correio, para o Departamento de Anatomia do Instituto de Ciências Biomédicas da USP, localizado na Av. Prof. Lineu Prestes, 2415, – Butantã, SP. 

Também é possível entrar em contato por meio do telefone (11) 99338-0736. Ele funciona 24 horas por dia e pode ser utilizado para ligações e whatsapp. 

Faculdade de Medicina da USP (FMUSP)
SÃO PAULO

Para assinar o termo de vontade na Faculdade de Medicina, basta se dirigir até o 1º andar da unidade e ir até a Disciplina de Topografia Estrutural Humana (Anatomia Topográfica), na sala 1.302. Ao chegar, o doador receberá os papéis que precisa preencher. Depois, basta levar a declaração para o cartório, autenticar o documento e entregar uma cópia para a faculdade. A FMUSP está localizada na Av. Dr. Arnaldo ,455 – Cerqueira César, São Paulo – SP. Para entrar em contato ligue para (11) 3061-7269.

Centro de Medicina Legal (Cemel)
RIBEIRÃO PRETO

O programa de doação de corpos do Cemel existe desde 2006. Para assinar o termo de vontade, basta entrar em contato com o Laboratório de Antropologia Forense, responsável por receber essas doações, e falar com José Marcelo Secchieri, o técnico responsável pelo assunto. O doador receberá todas as instruções, inclusive, sobre como comunicar a família. O telefone para contato é (16) 3315-4348  

Faculdade de Odontologia (FOB)
BAURU

Em Bauru, os três cursos da Faculdade recebem doação de corpos: Odontologia, Fonoaudiologia e Medicina. Para assinar o termo de vontade, é preciso entrar em contato por meio do telefone (14) 3235-8226 ou e-mail anatomia@fob.usp.br. O programa só recebe doações de corpo inteiro de moradores do Departamento Regional de Saúde 6 (DRS VI), área que compreende o município de Bauru e outros 67 do Estado de São Paulo.

Fontes:
Professora Thelma Parada – Coordenadora do programa de doação de corpos do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) da USP, em São Paulo 

Professor Alfredo Luiz Jacomo – Faculdade de Medicina da USP (FMUSP), em São Paulo 

Professor Marco Aurélio Guimarães – Centro de Medicina Legal (Cemel) da USP, em Ribeirão Preto

Professor Jesus Carlos Andreo – Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB) da USP.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.

JORNAL DA USP

Número Internacional Normalizado para Publicações Seriadas: International Standard Serial Number

ISSN 2525-6009

Política de uso

A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.

PARCERIAS:

© 2019 - Universidade de São Paulo