Revista USP – Número 135 – outubro/novembro/dezembro 2022

Editora: SCS/USP
Idioma: Português 
Confira abaixo os artigos deste número e dos anteriores.

A Revista USP também oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo no Portal de Revistas da USP, seguindo o princípio de proporcionar maior democratização mundial do conhecimento

bicentenário da independência:

ciência e tecnologia

“No Brasil as ciências e boas letras estão por terra, tudo o que interessa é vender açúcar, café, algodão, arroz e tabaco. Que diferença a este respeito entre as cidades do Brasil e a do México, Havana, Lima, Santa Fé, Quito, Popayán e Caracas. Só a cidade do México tem a Escola de Minas, a Academia das nobres artes, o Jardim das Plantas, a Universidade, uma gazeta de literatura.”

Este trecho recortado de Projetos para o Brasil, de José Bonifácio de Andrada e Silva, o grande mentor da Independência brasileira, serve para ilustrar muito bem o modo como a ciência e as artes eram (e ainda são) tratadas neste país. Nascido em Santos, Bonifácio era naturalista formado na Europa e cujos contatos se estendiam de Humboldt a Lavoisier, portanto, sabia muito bem do que estava falando. Também foi um ambientalista e abolicionista ferrenho. Defensor da reforma agrária. Como homem de letras, vislumbrou as aproximações contemporâneas entre arte e ciência. É dele a famosa e atualíssima afirmação de que “no Brasil a virtude, quando existe, é heroica, porque tem que lutar com a opinião e o governo”. Quando pensamos neste atual (des)governo que ora termina e no quanto de nocivo engendrou em relação às artes, à ciência e à universidade, sem falar do meio ambiente, a memória desse estadista do Império se torna ainda mais oportuna.

A ciência que se produz hoje no Brasil é fruto exclusivo do empenho da universidade, da dinâmica que se estabelece dentro e em torno dela. Nesse sentido, este número que encerra as comemorações do Bicentenário da Independência, sobre “Ciência e Tecnologia”, de certa forma é um tributo à universidade, a toda a comunidade de pesquisadores que ainda ousam estoicamente fazer ciência neste país. Como afirmou Glauco Arbix, professor do Departamento de Sociologia da FFLCH/USP e organizador do dossiê, “a crise que sacudiu o planeta explicitou a ciência como atividade marcadamente humana e entrelaçada com a vida social, e não como um corpo inteligente à parte, com estatuto diferenciado e exterior à sociedade”. A ciência, portanto, pertence a todos nós. E que assim seja pelos próximos 200 anos.

Jurandir Renovato

Apresentação

Bruno Latour, um dos mais inovadores filósofos da ciência, morreu na França neste último outubro. Deixou enorme legado conceitual voltado para assentar as bases de um novo paradigma das relações entre ciência, tecnologia e a natureza. Polêmico, sua trajetória foi marcada pela busca incessante dos laços visíveis e invisíveis que promovem a interação entre o mundo humano e o natural, em um espaço único, híbrido e terrestre.
Nesta edição especial, a Revista USP comemora o Bicentenário da Independência do Brasil e presta sua homenagem a Latour. Não poderia ser de outra forma, porque a ciência, em sua vasta diversidade de estilos e metamorfoses, pulsa no coração da USP.

Leia mais

Glauco Arbix

 

 

base_tarja_home_135

O território e os habitantes do Brasil foram fontes de conhecimento para a ciência europeia e riqueza para Portugal. Na Independência surgem as primeiras instituições de ensino e pesquisa. Mesmo com destaques isolados de alguns institutos, foi somente no início do século XX que a pesquisa se institucionalizou, basicamente a partir da fundação da Universidade de São Paulo, em 1934. Especialmente desde a década de 1970, as descobertas de cientistas brasileiros aumentaram o seu impacto. Atualmente, o volume da produção da ciência brasileira é destaque, mas a sua visibilidade continua sendo menor que a média mundial. A ciência é internacional, mas existe em um ambiente social local. A dimensão e a qualificação da comunidade científica permitem que a ciência de excelência amplie sua contribuição para o desenvolvimento justo e sustentável do Brasil.

Palavras-chave: Independência; Universidade de São Paulo; ciência brasileira.

The territory and inhabitants of Brazil were sources of knowledge for European science and wealth for Portugal. The first teaching and research institutions emerged during Independence. Even with isolated highlights from some institutes, it was only at the beginning of the 20th century that research became institutionalized, basically with the founding of the University of São Paulo in 1934. Especially since the 1970s, discoveries by Brazilian scientists have increased their impact. Currently, the volume of Brazilian science production is outstanding, but its visibility is still lower than the world average. Science is international, but exists in a local social environment. The size and qualifications of the scientific community allow science of excellence to expand its contribution to the fair and sustainable development of Brazil.

Keywords: Independence; University of São Paulo; Brazilian science.

A busca do lugar ideal está presente na cultura brasileira, como ilustra a expressão “coloque-se no seu lugar”. E se manifesta também em culturas bem diversas, como a de tribos nativas mexicanas, como retratado com maestria pelo antropólogo e escritor Carlos Castañeda em A erva do diabo. A busca do lugar ideal da universidade na sociedade ampla, feita neste artigo a partir do exame das notáveis inflexões que as ideias de inovação e de universidade tiveram ao longo da história recente, revela que esse ponto certo não existe. As razões são diversas. Por um lado, cada universidade corporifica uma utopia singular. E, em decorrência do entrelaçamento das trajetórias da inovação e da universidade, esta passou a assumir múltiplos papéis nas respectivas sociedades. Este artigo sugere uma mudança de foco: ao invés de buscar “o” lugar ideal, cultivar eutopias universitárias, espaços realizáveis que contribuam para a materialização dos sonhos das sociedades que as sustentam.

Palavras-chave: ciência; inovação; sociedade; eutopias universitárias.

The search for the ideal place is present in Brazilian culture, as illustrated by the expression “put yourself in your place”. And it also manifests itself in very diverse cultures, such as that of native Mexican tribes, as masterfully portrayed by the anthropologist and writer Carlos Castañeda in A erva do diabo. The article’s search for the university’s ideal place in the wider society, based on an examination of the notable inflections that the ideas of innovation and the university have undergone in recent history, reveals that there is no such point. The reasons are diverse. On the one hand, each university embodies a singular utopia. And, as a result of the intertwining of the trajectories of innovation and the university, the latter began to assume multiple roles in their respective societies. This article suggests a change of focus: instead of looking for “the” ideal place, cultivate university eutopias, achievable spaces that contribute to the materialization of the dreams of the societies that sustain them.

Keywords: science; inovation; society; university eutopias.

A universidade de pesquisa integra e está no topo de um sistema de ensino superior e científico hierarquizado, com missão específica para o desenvolvimento de estoques de conhecimento e a formação de recursos humanos altamente especializados. A sua sustentabilidade se ampara em instituições de ensino básico e superior que proveem formação educacional de qualidade para a maior parte da população com igualdade de oportunidades. Os seus valores são globais e a tímida integração do país ao comércio internacional freia o pleno desenvolvimento das suas instituições, em particular das universidades de pesquisa e da indústria local, renunciando a qualquer possibilidade de protagonismo na sociedade do conhecimento, que caracteriza o mundo atual, e na construção de uma sociedade mais equânime.

Palavras-chave: universidade; pesquisa; indústria; sociedade.

The research university is part of and at the top of a hierarchical system of higher education and science, with a specific mission to develop stocks of knowledge and train highly specialized human resources. Its sustainability is supported by basic and higher education institutions that provide quality educational training for the majority of the population with equal opportunities. Its values are global and the country’s timid integration into international trade hinders the full development of its institutions, in particular research universities and local industry, renouncing any possibility of taking a leading role in the knowledge society, which characterizes the world today, and in building a more equitable society.

Keywords: university; search; industry; society.

No presente trabalho usamos informações sobre publicações científicas com autores no Brasil para analisar algumas características do sistema de CT&I e identificar oportunidades para melhorar as políticas para ciência, tecnologia e inovação no país. Abordamos variações temporais nas tendências, de forma que o leitor possa observá-las à luz do histórico das políticas e condições do sistema de CT&I. Analisamos as taxas de crescimento do conjunto de publicações, as contribuições do setor acadêmico e empresarial, as contribuições regionais e a participação em termos de áreas de pesquisa e dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável. Entre as observações, destacamos a debilidade do esforço de P&D em empresas, o que limita a capacidade para estabelecer parcerias com universidades (mesmo que essas colaborações venham crescendo), e o lento aumento do impacto de citações do conjunto de publicações do país. 

Palavras-chave: CT&I; setor acadêmico e empresarial; publicações brasileiras.

In the present work we use information about scientific publications with authors in Brazil to analyze some characteristics of the ST&I system and identify opportunities to improve policies for science, technology and innovation in the country. We address temporal variations in trends so that the reader can observe them in light of the history of policies and conditions in the ST&I system. We analyze the growth rates of the publication set, contributions from the academic and business sector, regional contributions and participation in terms of research areas and the Sustainable Development Goals. Among the observations, we highlight the weakness of the P&D effort in companies, which limits the ability to establish partnerships with universities (even if these collaborations are growing), and the slow increase in the impact of citations from the set of publications in the country.

Keywords: ST&I; academic and business sector; Brazilian publications.

Este artigo discute, a partir de diversos exemplos internacionais, a relevância da infraestrutura científica e tecnológica para o desenvolvimento dos países. São apresentados diversos modelos de organização de sistemas de C&T ao redor do mundo, nos quais esse tipo de infraestrutura desempenha papel-chave. No Brasil, as limitações dessa infraestrutura e de suas instituições são um componente a ser aprimorado para que a C&T desempenhe papel ainda mais relevante no desenvolvimento do país. Para isso, contudo, é preciso lidar com a restrição de recursos, que se tornou ainda mais severa nos últimos anos, quando o volume de investimentos públicos em C&T caiu drasticamente. 

Palavras-chave: infraestrutura científica e tecnológica; desenvolvimento; crise.

This article discusses, based on several international examples, the relevance of scientific and technological infrastructure for the development of countries. Several models of organization of S&T systems around the world are presented, in which this type of infrastructure plays a key role. In Brazil, the limitations of this infrastructure and its institutions are a component to be improved so that S&T plays an even more relevant role in the country’s development. To do this, however, it is necessary to deal with resource constraints, which have become even more severe in recent years, when the volume of public investment in S&T has dropped dramatically.

Keywords: scientific and technological infrastructure; development; crisis.

As mudanças climáticas constituem um dos maiores desafios da humanidade hoje. É urgente entendermos como os ecossistemas brasileiros, a economia, a infraestrutura, as cadeias produtivas, a biodiversidade, a saúde, entre outros aspectos, estão sendo afetados pelas mudanças climáticas. O Brasil tem vantagens estratégicas enormes, como a possibilidade de reduzir fortemente as emissões de gases de efeito estufa, com ganhos importantes para a sociedade. Temos um potencial de geração de energia solar e eólica que nenhum outro país possui. Mas também temos vulnerabilidades, como um agronegócio dependente do clima e a geração de hidroeletricidade dependente da chuva. Temos também 8.500 km de áreas costeiras sensíveis ao aumento do nível do mar, e áreas urbanas vulneráveis a eventos climáticos extremos. Temos que construir uma socioeconomia mais justa e com clima e meio ambiente integrados de modo sustentável.

Palavras-chave: mudanças climáticas; cadeias produtivas, biodiversidade; socioeconomia.

Climate change constitutes one of the greatest challenges facing humanity today. It is urgent to understand how Brazilian ecosystems, the economy, infrastructure, production chains, biodiversity, health, among other aspects, are being affected by climate change. Brazil has enormous strategic advantages, such as the possibility of strongly reducing greenhouse gas emissions, with important gains for society. We have a potential for generating solar and wind energy that no other country has. But we also have vulnerabilities, such as climate-dependent agribusiness and rain-dependent hydroelectricity generation. We also have 8,500 km of coastal areas sensitive to sea level rise, and urban areas vulnerable to extreme weather events. We have to build a fairer socio-economy, with climate and environment integrated in a sustainable way.

Keywords: climate changes; production chains; biodiversity; socioeconomics.

Este artigo apresenta e discute as oportunidades advindas da economia digital e a atuação do Estado para garantir a existência de um ambiente regulatório capaz de viabilizar e incentivar a inovação. A estrutura jurídica do Estado é fundamental para favorecer o desenvolvimento tecnológico; contudo, ao se tratar de fenômenos emergentes, como a inteligência artificial, é necessário compreender definições, classificações e mensurar riscos para apresentar normas jurídicas que protejam os cidadãos sem impedir o avanço tecnológico. Assim, utilizando o método analítico e comparativo, buscou-se avaliar os dispositivos normativos voltados a preparar a sociedade brasileira para a transformação digital, apresentando-se os aspectos positivos deste arcabouço jurídico existente e as lacunas ainda presentes que oferecem ameaças significativas para a competitividade do Brasil no âmbito da economia digital.

Palavras-chave: economia digital; Estado; inovação; desenvolvimento tecnológico.

This article presents and discusses the opportunities arising from the digital economy and the role of the State to ensure the existence of a regulatory environment capable of enabling and encouraging innovation. The State’s legal structure is fundamental to favoring technological development; however, when dealing with emerging phenomena, such as artificial intelligence, it is necessary to understand definitions, classifications and measure risks in order to present legal norms that protect citizens without impeding technological advancement. Thus, using the analytical and comparative method, we sought to evaluate the normative devices aimed at preparing Brazilian society for the digital transformation, presenting the positive aspects of this existing legal framework and the gaps still present that offer significant threats to the competitiveness of the Brazil in the context of the digital economy.

Keywords: digital economy; State; innovation; technological development.

O objetivo deste artigo é apresentar e discutir a governança da ciência, o que ela engloba e quais os desafios que hoje são mais importantes em âmbitos nacional e global. O tema é abordado sob duas dimensões: governança estrita, que examina os cânones internos do funcionamento da ciência; e governança ampliada, que olha para as interfaces e interações da ciência com a sociedade. Sobretudo, discute-se o que está mudando nessas dimensões e quais os impactos e iniciativas sobre as “instituições da ciência”. Temas como ciência aberta, vieses de priorização e seleção, indicadores de qualidade, engajamento social, pesquisa orientada a missão, dentre outros, são discutidos como “espírito do tempo” e seus efeitos – de mão dupla – sobre a governança estrita e ampliada da ciência. Essa discussão é estendida para o Brasil em seus 200 anos de Independência, colocando alguns dos desafios que teremos que enfrentar.

Palavras-chave: governança da ciência; indicadores de qualidade; engajamento social.

The purpose of this article is to present and discuss science governance, what it encompasses and what challenges are most important today at national and global levels. The topic is approached from two dimensions: strict governance, which examines the internal canons of how science works; and expanded governance, which looks at the interfaces and interactions of science with society. Above all, it discusses what is changing in these dimensions and what impacts and initiatives have on “science institutions”. Topics such as open science, prioritization and selection biases, quality indicators, social engagement, mission-oriented research, among others, are discussed as the “spirit of the time” and its two-way effects on the strict and expanded governance of science. This discussion is extended to Brazil in its 200 years of Independence, posing some of the challenges that we will have to face.

Keywords: science governance; quality indicators; social engagement.

Números anteriores

Clique no número abaixo da imagem para ver a Revista

Conteúdos especiais:

Revista USP é uma publicação trimestral da Superintendência de Comunicação Social (SCS) da USP. Criada em 1989, é um veículo cultural de caráter ensaístico, o que confere maior dinamismo aos textos. Além disso, é multidisciplinar, aberta a todas as tendências. Outro fator a torna especial: a qualidade indiscutível dos colaboradores, que lhe possibilita ser um verdadeiro padrão de excelência dentro do universo cultural brasileiro.

Você terá a satisfação de ler a cada volume textos assinados pelos mais renomados autores em seu setor. Multidisciplinar e sem preconceitos, a Revista USP não privilegia esse ou aquele enfoque, esse ou aquele grupo, é aberta a todas as tendências.  

Endereço:

Rua da Praça do Relógio 109
Bloco L – 4o. andar
Cidade Universitária
Butantã – São Paulo/SP
CEP 05508-050
Telefone: (11) 3091-4403
Site: www.usp.br/revistausp
e-mail: revisusp@usp.br