Estudo clínico da USP na área de odontologia busca mulheres com DTM

Interessadas devem ter mais de 18 anos e não podem estar na menopausa; pesquisa vai oferecer tratamento às participantes

 29/01/2020 - Publicado há 2 anos

Um estudo da Faculdade de Odontologia (FO) da USP em São Paulo busca mulheres com mais de 18 anos que tenham disfunção temporomandibular, mais conhecida como DTM.

O termo refere-se às diversas anormalidades que atingem as articulações localizadas entre a mandíbula e o crânio na região anterior à orelha. Estas articulações são utilizadas quando fazemos movimentos com a boca, como abrir, fechar, mastigar e falar.

Para participar, é preciso que a interessada não esteja na menopausa. Outros requisitos são ter queixas de dores na face e na cabeça, como nas têmporas, laterais do rosto e região do ouvido.

Há 40 vagas disponíveis. O estudo irá fornecer tratamento de DTM com placas oclusais. As consultas serão realizadas na Clínica de Especialidades da FO, localizada na Av. Prof. Lineu Prestes, 2227, Cidade Universitária, São Paulo-SP. As interessadas devem enviar e-mail para rosaneodontologia2@gmail.com para mais informações e agendamento da triagem para possível participação.

A pesquisa está sendo conduzida pela doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Diagnóstico Bucal, Radiologia Odontológica e Imaginologia, Rosane Tronchin Gallo, orientada pela professora Andréa Lusvaghi Witzel.

 


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.