Estudo clínico da USP na área de odontologia busca mulheres com DTM

Interessadas devem ter mais de 18 anos e não podem estar na menopausa; pesquisa vai oferecer tratamento às participantes

Um estudo da Faculdade de Odontologia (FO) da USP em São Paulo busca mulheres com mais de 18 anos que tenham disfunção temporomandibular, mais conhecida como DTM.

O termo refere-se às diversas anormalidades que atingem as articulações localizadas entre a mandíbula e o crânio na região anterior à orelha. Estas articulações são utilizadas quando fazemos movimentos com a boca, como abrir, fechar, mastigar e falar.

Para participar, é preciso que a interessada não esteja na menopausa. Outros requisitos são ter queixas de dores na face e na cabeça, como nas têmporas, laterais do rosto e região do ouvido.

Há 40 vagas disponíveis. O estudo irá fornecer tratamento de DTM com placas oclusais. As consultas serão realizadas na Clínica de Especialidades da FO, localizada na Av. Prof. Lineu Prestes, 2227, Cidade Universitária, São Paulo-SP. As interessadas devem enviar e-mail para rosaneodontologia2@gmail.com para mais informações e agendamento da triagem para possível participação.

A pesquisa está sendo conduzida pela doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Diagnóstico Bucal, Radiologia Odontológica e Imaginologia, Rosane Tronchin Gallo, orientada pela professora Andréa Lusvaghi Witzel.

 

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.