Tour virtual mostra corredores agroecológicos em Piracicaba, Anhembi e São Pedro

Vídeo interativo faz parte do Corredor Caipira, projeto da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz para reflorestar regiões do interior de São Paulo

 08/09/2021 - Publicado há 1 mês
Por
Projeto com participação da Esalq vai formar corredores agroecológicos para conectar fragmentos florestais no Estado de São Paulo – Foto: Reprodução/Blog Corredor Caipira

.
Em tempos de pandemia e dificuldades para viajar, uma boa opção virtual é o tour do Corredor Caipira. No ambiente interativo, iniciativa de pesquisadores e docentes da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) da USP, é possível conhecer mais sobre agroecologia e descobrir a cultura de Piracicaba, Anhembi e São Pedro, municípios do interior paulista.

O vídeo de realidade virtual pode ser acessado neste link. Ele conta com vistas panorâmicas repletas de belezas naturais das três cidades; um passeio pelas trilhas da Estação Ecológica Barreiro Rico, na cidade de Anhembi, com um instrutor que explica a riqueza da sua biodiversidade; uma entrevista com o gestor da estação, João Marcelo Elias, que fala sobre a situação atual da reserva, os cuidados para a manutenção do local e a importância da conectividade das paisagens, com os corredores agroecológicos, para a preservação das espécies; e uma conversa sobre elementos socioculturais de Piracicaba. Novos passeios serão adicionados à plataforma no futuro. 

.

O vídeo interativo do Corredor Caipira é um projeto dos docentes e pesquisadores da Esalq – Imagem/Reprodução Corredor Caipira

.
O
Projeto Corredor Caipira – Conectando Paisagens e Pessoas quer fazer uma restauração florestal em 45 hectares (que equivalem a 45 campos de futebol) nos municípios de Piracicaba, Santa Maria da Serra, São Pedro, Águas de São Pedro e Anhembi, formando corredores agroecológicos para conectar importantes fragmentos florestais no Estado de São Paulo. Outros 13 municípios que estão entre as áreas prioritárias para restauração florestal também devem se beneficiar das ações de forma indireta. Com isso, deve ser melhorada a conectividade entre matas nativas que passam pelas cidades de Avaré, Analândia, Bofete, Botucatu, Charqueada, Corumbataí, Guareí, Ipeúna, Itatinga, Itirapina, Pardinho, Rio Claro e Torre de Pedra para a conservação da fauna e da flora.

Além da Esalq, a iniciativa conta com a participação da Fundação de Estudos Agrários Luiz de Queiroz (Fealq) e patrocínio da Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental.

Por que construir corredores ecológicos?

+ Mais

Projeto Corredor Caipira premia fotos da biodiversidade do interior paulista

“Corredor caipira” vai ligar fragmentos de florestas no Estado de São Paulo

“A conectividade dos fragmentos de habitat em uma paisagem é uma condição essencial para a conservação da biodiversidade. […] Na perspectiva da conservação biológica na paisagem, o principal é a existência de intercâmbio entre os fragmentos de habitat, tanto para a fauna transitar entre esses ambientes como para as plantas permutarem seus genes através da transferência de pólen ou da dispersão de suas sementes”, destaca o site do projeto.

Além disso, o Corredor Caipira quer criar um banco para a conservação genética de 20 espécies florestais nativas de relevância ecológica, econômica e cultural, e oferece cursos e oficinas que destacam o papel e a importância da cultura caipira para toda a comunidade, com destaque para as mulheres, negros, crianças e os agricultores. 

Saiba mais sobre o Corredor Caipira e os corredores agroecológicos:

Site: https://corredorcaipira.com.br
Tour virtual: https://corredorcaipira.com.br/video-de-realidade-virtual
Redes sociais: Instagram | Facebook | Youtube

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.