Tecnologia é aliada no ensino de história antiga em projeto da USP

Pesquisadores do Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade desenvolvem projetos interativos para quem quer aprender sobre a história da Roma Antiga

 04/06/2021 - Publicado há 6 meses  Atualizado: 07/06/2021 as 11:34
Por

Aprender história pode ser mais divertido com o uso de tecnologia. É o que mostram os projetos “ciberarqueológicos”, que buscam unir os recursos digitais com a arqueologia, desenvolvidos pelo Laboratório de Arqueologia Romana Provincial (Larp), laboratório temático do Museu de Arqueologia e Etnologia (MAE) da USP.

O laboratório busca ensinar a história da Roma Antiga a partir da reconstrução de estruturas arquitetônicas e ambientes sociais dentro de aplicativos e ferramentas de realidade virtual. A proposta é que os usuários percorram edifícios públicos, religiosos e monumentos de forma interativa e didática.

Confira quais são as ferramentas e aplicativos disponíveis:

 

Domus

Com uma interface semelhante a jogos de videogame, o aplicativo Domus mostra a estrutura interna de uma antiga casa romana. O usuário pode navegar entre cômodos, como a cozinha, o escritório e o banheiro, além de poder manipular objetos e ler textos informativos. A ferramenta também conta com imagens de objetos reais encontrados em escavações arqueológicas e textos de apoio para professores, com conteúdos didáticos sobre arquitetura, economia, religião e alimentação romana, que podem ser baixados neste link.

A ferramenta pode ser utilizada em smartphones nas versões Redux, em que o usuário tem a experiência em primeira pessoa, e Realidade Aumentada. Nessa versão, é necessário que o usuário utilize a planta da casa do aplicativo, disponível no site do Laboratório, para realizar as atividades interativas. Também é possível fazer o download no computador, em: www.larp.mae.usp.br/rv/domus

.

O Último Banquete em Herculano

O primeiro jogo eletrônico desenvolvido pelo laboratório conta a história de Septimus, um escravo da Roma Antiga que precisa cumprir tarefas para preparar um banquete. A narrativa se passa no dia 24 de agosto de 79 d.C. — data em que as cidades de Pompeia e Herculano foram destruídas pela erupção do vulcão Vesúvio. Como apoio pedagógico, o jogo conta ainda com um guia didático produzido por pesquisadores do laboratório.

O jogo é gratuito e está disponível para dispositivos Android e iOS, além da versão para computador. O link para download das três versões está disponível em: www.larp.mae.usp.br/o-ultimo-banquete-em-herculano/download/

.

Roma Aumentada

Criado por arqueólogos, o aplicativo de realidade aumentada permite que o usuário interaja em tempo real com alguns dos edifícios mais comuns da Roma Antiga — como o Anfiteatro, o Aqueduto e o Arco do Triunfo. Para acessar, basta instalar o aplicativo, baixar os marcadores de realidade aumentada (QR Codes específicos para cada um dos edifícios), disponíveis neste link, e apontá-los para a câmera do celular. A ferramenta também conta com informações textuais sobre as características de cada monumento.

.

Roma Touch

Este aplicativo permite que os usuários naveguem pelo mapa 3D da Roma Antiga. Além disso, também é possível obter informações sobre os monumentos espalhados pela paisagem, escritas por pesquisadores e especialistas do laboratório. O aplicativo está disponível para dispositivos Android e iOS.

.

Vipasca Antiga

O aplicativo 3D interativo permite que o usuário navegue em tempo real pela área de mineração romana — hoje presente em Aljustrel, em Portugal. Foi desenvolvido a partir da tese de doutorado do pesquisador Alex da Silva Martire, intitulada “Ciberarqueologia em Vipasca: o uso de tecnologias para a reconstrução-simulação interativa arqueológica”. A versão para computador pode ser baixada neste link.

.

Escaneamentos 3D

A ferramenta permite a visualização 3D de peças arqueológicas, além de trazer informações sobre os artefatos. Pode ser acessada a partir deste link.

.

O Larp foi criado em 2011, com auxílio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), com o intuito de estudar questões específicas sobre as antigas províncias romanas. Os estudos têm sido divulgados por meio de simpósios, congressos, publicações, internet, banco de dados, etc. Hoje, além da pesquisa acadêmica, o Larp também desenvolve atividades educacionais.

Mais informações podem ser encontradas no site www.larp.mae.usp.br, no Instagram (@larp_mae) ou no Facebook (LARP USP).

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.