Startup faz diagnósticos moleculares voltados à oncologia

Instalada no Supera Parque, na USP em Ribeirão Preto, a Onkos está entre as startups mais atraentes do Brasil na área da saúde

Por - Editorias: Ciências, Universidade
  • 127
  •  
  •  
  •  
  •  
Exame, sem similar nacional e que pode evitar tratamentos agressivos e cirurgias desnecessárias, deve chegar ao mercado no final de 2018 – Foto: The Journal of Cell Biology/Flickr-CC

A Onkos, startup ligada ao Supera Parque de Inovação e Tecnologia de Ribeirão Preto, é uma das empresas inovadoras mais atraentes para o mercado, segundo o ranking 100 Open Startups. A empresa desenvolve diagnósticos moleculares voltados à oncologia e conquistou a quinta colocação na categoria Healthcare – sendo a única do interior paulista na sua categoria.

Focada no desenvolvimento de exames diagnósticos moleculares para oncologia, a empresa utiliza como plataforma tecnológica a técnica de Gene Expression Profiling, unindo a vanguarda do conhecimento em biologia molecular e inteligência artificial.

Os exames se baseiam no desenvolvimento e na validação clínica de soluções que visam a eliminar a subjetividade e a incerteza inerente às técnicas comumente utilizadas e diminuir cirurgias e tratamentos desnecessários. Por meio da análise de assinaturas genéticas específicas, os algoritmos utilizados pelos exames fornecem resultados que contribuem para uma melhor tomada de decisão clínica e consequente melhor manejo do paciente oncológico. O desenvolvimento e validação dos exames seguem o conceito bench-to-bedside, visando ao seu uso prático e condizente com a real rotina clínica, disponibilidade de amostras e resultados claros.

Marcos Santos, CEO da Onkos, explica que a startup está despertando o interesse do mercado por apresentar soluções que não somente impactam de forma objetiva a tomada de decisão clínica e a saúde do paciente, mas também por beneficiar toda a cadeia de saúde, economizando recursos às fontes pagadoras ao diminuir cirurgias e tratamentos desnecessários. “Por exemplo, o mir-THYpe, nosso exame para nódulos de tireoide indeterminados, tem potencial para diminuir até 81% das cirurgias desnecessárias. Ganham o paciente, o médico e a fonte pagadora”, afirma.

Outro exame que vem sendo desenvolvido pela Onkos tem o objetivo de eliminar a subjetividade da classificação de risco dos pacientes com câncer de próstata. Segundo o CEO, o objetivo é mediar a atividade de moléculas, chamadas microRNAS, e fornecer informações personalizadas de como o tumor se comporta e se desenvolve, de forma não subjetiva. “É um método mais preciso que o atual e que beneficia não somente o paciente, mas também gera economia de recursos ao sistema de saúde, melhorando a sua eficácia.”

Marcos Santos, CEO da Onkos – Foto: Divulgação/Supera

A pesquisa apresenta resultados animadores, que mostram uma alta capacidade de identificar o risco de desenvolvimento de metástase dos pacientes de forma acurada. “A maioria dos pacientes classificados atualmente como de alto risco pelos critérios clínicos são reclassificados como de baixo risco pelo nosso exame com uma excelente acurácia”, relata Santos. Com a tecnologia desenvolvida no Brasil, a estimativa é que os exames fiquem até 80% mais baratos. “É um exame que traz economia ao sistema de saúde, já que sugere ao médico oncologista que os pacientes de baixo risco não precisam ser submetidos a tratamentos e cirurgias caras e são bons candidatos à vigilância ativa.”

Em sua terceira edição, o ranking 100 Open Startups utiliza como referência informações de grandes instituições e investidores líderes no acompanhamento das startups mais atraentes para o mercado corporativo. “São diversos os critérios de avaliação, entre eles o nível de interação com o mercado com grandes empresas e novos clientes. A empresa ganha uma pontuação de acordo com cada novo contrato, projetos aprovados, grau de inovação, entre outras”, explica o CEO. Segundo a organização, participaram da seleção em 2018 mais de 4,6 mil startups, 9 mil executivos avaliadores e ao menos 840 grandes empresas.

O ranking completo pode ser acessado no site.

Parque de Inovação e Tecnologia

O Supera Parque de Inovação e Tecnologia de Ribeirão Preto é resultado de uma parceria entre a Fipase, a USP, Prefeitura Municipal de Ribeirão Preto e Secretaria de Desenvolvimento do Estado de São Paulo. Instalado no campus da USP local, o parque abriga a Supera Incubadora de Empresas, o Supera Centro de Tecnologia, a associação do Arranjo Produtivo Local (APL) da Saúde, o Polo Industrial de Software (PISO), além do Supera Centro de Negócios.

Ao todo, são 81 empresas instaladas no parque, sendo 58 delas na Supera Incubadora de Empresas de Base Tecnológica, 16 empreendimentos no Centro de Negócios e sete na aceleradora SEVNA Seed.

Da Assessoria de Imprensa do Supera Parque

  • 127
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados