Projeto de estudantes da USP Piracicaba une educação ambiental e bem-estar

Projeto Mesa+Verde: Cultivando Bem-Estar, desenvolvido pela Esalq Júnior Florestal, ensinou estudantes a montar uma horta durante o período de isolamento social

 02/09/2021 - Publicado há 2 meses
Estudantes desenvolveram uma horta durante a pandemia – Foto: Freepik

.
Um projeto de educação ambiental desenvolvido por estudantes da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) da USP levou conhecimentos na área de botânica e meio ambiente para escolas do interior de São Paulo e da Bahia, além de colaborar com a manutenção da saúde mental durante a pandemia. O projeto Mesa+Verde: Cultivando Bem-Estar disponibilizou cinco aulas on-line, durante o período de cinco semanas, com os temas abordados Hortas, Manejo de Água, Luz e Solo, Nutrientes e Compostagem, Pragas e Doenças, Benefícios Alimentares e Pancs (Plantas Alimentícias Não Convencionais).

Com aplicação nas escolas Evolução Centro Educacional, de Porto Seguro, na Bahia, e a Escola Monte Sionense de Monte Sião, em São Paulo, a iniciativa foi a primeira experiência de educação ambiental desenvolvido pela Esalq Júnior Florestal, empresa júnior formada por estudantes de graduação da Esalq. “O projeto voltado para alunos do ensino médio tem como intuito diminuir a pressão psicológica e a ansiedade causada pelo isolamento social, com reflexos benéficos diretos no desempenho escolar, além de ampliar o conhecimento dos estudantes na área botânica”, explica Olívia Nogueira, diretora comercial da Esalq Júnior Florestal.

Além das aulas teóricas, os alunos das escolas receberam três miniaulas práticas sobre como montar uma horta, fazer um regador com uma garrafa PET e montar uma composteira. A iniciativa também deu oportunidade para o desenvolvimento da criatividade dos estudantes, pois um dos desafios era utilizar diferentes materiais e ferramentas para a montagem da horta.

Parceria com os professores

Em Monte Sião, a iniciativa foi realizada em parceria com as aulas de Biologia, ministrada pela professora Lea Brisola. Para ela, o projeto possibilitou aos alunos bons conhecimentos na área de educação ambiental. “Todo ano os estudantes da segunda série do médio possuem em sua grade curricular a matéria de morfologia vegetal e, a partir deste pressuposto e da proposta de criar uma horta, os alunos conseguiram com o suporte teórico dos estudantes da Esalq, realizar um trabalho em grupo visando à melhor forma de instalar uma horta em suas casas ou apartamentos, adaptando para a realidade de espaços pequenos ou grandes. Ao final do processo os estudantes enviaram fotos dos trabalhos, finalizando assim todo o processo de desenvolvimento.”

Na Bahia, as atividades foram realizadas na disciplina de Filosofia, ministrada pelo professor Wagner Galante, que destacou a possibilidade dos alunos entrarem em contato com novos hábitos. “Em um momento de pandemia, quando os alunos estão isolados em suas casas, um projeto de educação ambiental ajuda a vivenciar algo diferente nesse sistema de aulas on-line, porque permite um novo olhar para a prática do cultivo de alimentos em que antigamente eles não prestavam atenção. Esse projeto permitiu estabelecer um hábito diferente na vida de cada aluno e muitos deles relataram que estão exercendo essa nova prática em suas casas. Esse aprendizado só foi permitido a partir das atividades com a Esalq Júnior Florestal”, disse.

Sobre a Esalq Júnior Florestal

É uma empresa formada por alunos de graduação da Esalq, que tem como objetivo buscar soluções florestais para seus clientes, aplicar os conhecimentos adquiridos na área, colocá-los em prática e realizar projetos com a mesma excelência e eficiência do mercado.

Saiba mais sobre a Esalq Júnior Florestal na página www.esalqjrflorestal.org.br pelo e-mail contato@esalqjrflorestal.org.br ou telefone (19) 3447-6661.
.

Texto adaptado de Gabriel Perin – Assessoria de Comunicação da Esalq

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.