Projeto da USP oferece assistência farmacêutica gratuita

Alunos passaram três semanas em cidade do interior paulista oferecendo atendimento à população

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn2Print this pageEmail
Jornadeiras em visita à casa da Dona Mariana durante o projeto - Foto: Beatriz Lucio
Jornadeiras em visita à casa da Dona Mariana durante o projeto em Santa Cruz da Esperança – Foto: Beatriz Lucio

Na tentativa de melhorar as condições de saúde de moradores de cidades com vulnerabilidades sociais, um grupo de alunos da Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF) da USP tem realizado visitas para prestar assistência farmacêutica. Eles são voluntários da Jornada Científica dos Acadêmicos de Farmácia e Bioquímica (JCAFB) da USP, um projeto de extensão universitária voltado para crianças e idosos.

“Por mais que a gente só atenda os casos de crianças e idosos, procuramos atender todos os públicos”, diz Caroline Amorim, coordenadora geral da jornada de 2016.

A jornada foi fundada em 1964 por alunos da FCF e pelo professor Mario Demar Peres, com o objetivo de detectar parasitoses em cidades litorâneas do Estado de São Paulo. Atualmente, o principal objetivo é atender crianças e idosos que possam estar contaminados e poder auxiliá-los no tratamento. O projeto conta com 39 alunos, que se dividem em dois grupos: 28 que serão jornadeiros de campo e 11 de análise farmacêuticas.

Em visitação às casas, os jornadeiros dão assistência às crianças - Foto: Juca Rodrigues
Em visitação às casas, os jornadeiros dão assistência às crianças – Foto: Juca Rodrigues

Os jornadeiros de campo realizam visitas às casas e conhecem as famílias que participarão do projeto. Na primeira visita, o jornadeiro se apresenta para a família e explica o projeto. Na segunda, ele leva o potinho para fazer exame de fezes e urina e questionário sobre os hábitos da família para entender a causa de algum problema que apareça nos exames. Na terceira e última, o jornadeiro leva o resultado dos exames e orienta sobre como prosseguir o tratamento com a medicação.

“Quem escolhe ser jornadeiro de análise, torna-se responsável por realizar exames parasitológicos e identificar os cistos e ovos que causam doenças na população no laboratório que é montado no próprio alojamento”, explica Caroline.

Nos finais de semana, eles fazem campanhas de Diabete, Hipertensão e Colesterol (DHC) e atividades como show de talento, teatro e concurso de culinária.

Em janeiro, eles estiveram durante 21 dias em Santa Cruz da Esperança, localizada no interior do Estado de São Paulo. Desde 2013, os voluntários visitam a cidade levando atividades culturais e de atendimento farmacêutico. A proposta da jornada é escolher o local que receberá a assistência e visitá-lo durante quatro anos seguidos. Em 2016, eles finalizaram o trabalho em Santa Cruz da Esperança. O próximo município que receberá a Jornada Científica dos Acadêmicos de Farmácia e Bioquímica será Fernão, também localizada no interior de São Paulo.

Para participar do projeto, os alunos da FCF passam por seis treinamentos relacionados às tarefas que serão feitas na cidade e depois por uma prova. Segundo Caroline, para passar no processo seletivo é preciso saber tudo sobre parasitoses: nomes científico, ciclos de vida, proliferação e profilaxia. Para a jornada deste ano, foram 189 inscritos para ocupar as 39 vagas.

Mais informações: Facebook https://www.facebook.com/jornadacientifica.usp/

 

 

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn2Print this pageEmail

Textos relacionados