Professores criticam notícia sobre posse de nova direção do Instituto de Relações Internacionais

Pedro Dallari e Kai Enno Lehmann conversaram sobre o processo eleitoral da unidade, criticaram seu resultado final e a cobertura dada à posse pelo “Jornal da USP”

Por - Editorias: Universidade

Os professores Pedro Dallari, ex-diretor do Instituto de Relações Internacionais (IRI) e representante da Congregação do instituto no Conselho Universitário (Co) da USP, e Kai Enno Lehmann, também do IRI, visitaram a Superintendência de Comunicação Social, no último dia 8 de maio, para comentar criticamente a recente notícia que o Jornal da USP publicou sobre a posse da nova diretora do instituto, Janina Onuki, e do vice-diretor, Moacyr Martucci Junior.

Na visita, os professores Dallari e Lehmann conversaram sobre o processo eleitoral realizado no IRI, criticaram seu resultado final e a cobertura dada à posse pelo Jornal da USP, em matéria intitulada Nova diretora destaca apoio da comunidade acadêmica para fortalecer caráter de excelência do IRI.

O cerne de suas críticas, segundo eles, está resumido em documento assinado por vários professores presidentes de comissões do IRI, divulgado no dia 27 de abril passado, que publicamos a seguir:

Declaração à comunidade da USP

Posse da direção do IRI: não há o que celebrar
A comunidade do IRI não participará da cerimônia do dia 3 de maio

Está prevista para o próximo dia 3 de maio a cerimônia de posse da nova direção do Instituto de Relações Internacionais (IRI), que terá lugar na sala do Conselho Universitário, e não nas dependências do Instituto, como seria normal. Essa circunstância é ilustrativa, por si só, da falta de sentido do evento, dada a absoluta desconexão entre os novos dirigentes e a comunidade do IRI.

É preciso lembrar que a atual direção do IRI é beneficiária de intervenção judicial que impediu a participação eleitoral da chapa de candidatos amplamente preferida por nossa comunidade. Essa preferência ficou claramente demonstrada em processo oficial de consulta a professores, alunos e funcionários. Tendo renunciado sem qualquer explicação às vésperas da consulta, os dirigentes atuais nem mesmo se submeteram ao processo, obrigatório pelo regimento do Instituto. Falta a eles, portanto, o atendimento de requisitos mínimos de legitimidade que lhes possibilitem conduzir o IRI e liderar a nossa comunidade.

Essa anomalia tem colocado em risco o funcionamento do Instituto. O quadro é de absoluta prostração. Projetos relevantes foram interrompidos ou transferidos para outras unidades, no aguardo de que a eleição de uma diretoria legítima possa congregar nossa comunidade, propiciando a integração que impulsionou a evolução virtuosa verificada desde a criação do curso de graduação em relações internacionais, em 2002.

Tendo em vista inclusive o risco de paralisação completa do IRI, os presidentes e vice-presidentes de todas as comissões estatutárias do Instituto, eleitos pela Congregação em 22 de março último, decidiriam pela criação do Colégio dos Presidentes das Comissões do IRI (CPC-IRI), fórum de articulação destinado a garantir a continuidade das atividades essenciais básicas de ensino, pesquisa e extensão. Face à absoluta falta de legitimidade e de capacidade de gestão da direção emanada da intervenção judicial, esse colegiado tem atuado junto aos professores, alunos e funcionários do IRI, e perante o conjunto da USP, para a preservação da vida acadêmica.

Em que pese o importante significado desta iniciativa, seu alcance é limitado, sendo evidente que apenas com a saída dos atuais dirigentes e a realização de uma eleição legítima poderá ser reestabelecida a normalidade. Assim, para que o instituto retome sua trajetória, os integrantes do Colégio dos Presidentes das Comissões do IRI têm pedido publicamente à professora Janina Onuki e ao professor Moacyr Martucci Jr. que renunciem aos cargos de diretor e vice-diretor do IRI, abrindo caminho, com esse gesto, para a superação da crise.

Em sua breve história, o IRI conquistou posição acadêmica de relevo. Diante da gravidade da situação atual, essa conquista só poderá ser preservada com a realização de eleição que congregue nossa comunidade em torno de uma direção legítima.

Por todo o exposto, comunicamos a toda a Universidade de São Paulo que não estaremos presentes no evento do dia 3 de maio, assim como a expressiva maioria da comunidade do IRI.

São Paulo, 27 de abril de 2018.

Professor PEDRO BOHOMOLETZ DE ABREU DALLARI
Representante da Congregação do IRI no Conselho Universitário
Presidente da Comissão de Cultura e Extensão Universitária

Professor FELIPE PEREIRA LOUREIRO
Presidente da Comissão de Graduação

Professora ADRIANA SCHOR
Presidente da Comissão de Pós-Graduação

Professora MARISLEI NISHIJIMA
Presidente da Comissão de Pesquisa

Professora MARIA ANTONIETA DEL TEDESCO LINS
Presidente da Comissão de Cooperação Nacional e Internacional

Textos relacionados