Pós-graduação na USP é destaque mundial ao relacionar biodiversidade e saúde humana

Artigo em revista científica lista 105 programas em 89 instituições de ensino superior em todo o mundo que estudam o tema

 24/05/2021 - Publicado há 4 meses
Curso de pós-graduação na USP é um dos poucos no mundo que trata da relação entre biodiversidade e saúde humana – Foto: Freepik

.

A pandemia de covid-19 trouxe ao mundo a certeza de como a saúde humana está ameaçada pelo desequilíbrio ambiental e, nesse contexto, as pesquisas que investigam essa relação se tornam urgentes e ganham maior importância. Para entender como o tema da biodiversidade e suas interligações com a saúde humana estão sendo oferecidas nas universidades de todo o mundo, um artigo produzido na Universidade de Genebra e divulgado na revista científica Frontiers in Public Health, elencou as principais iniciativas universitárias relacionadas ao tema e, entre elas, destaca o Programa de Pós-graduação Saúde Global e Sustentabilidade da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP.

Helena Ribeiro, professora da Faculdade de Saúde Pública da USP – Foto: Maria Leonor de Calasans/IEA

“O programa da USP está na vanguarda em estudos que relacionam grandes questões globais com a pesquisa científica em nível de pós-graduação. Uma das grandes questões a que se refere a sustentabilidade do planeta é a perda da biodiversidade, via mudanças no uso do solo, desmatamento, produção de alimentos em monoculturas e empobrecimento da diversidade cultural, fruto da globalização da economia e da cultura”, explica a vice-coordenadora do curso Helena Ribeiro, professora da FSP. Ela destaca a importância do reconhecimento da pós-graduação no artigo Biodiversidade e interligações da saúde humana oferecidos em ensino superior: uma primeira visão geral global publicado por cientistas estrangeiros no periódico científico de impacto.

O estudo usou os programas de educação como ponto de partida e criou uma lista global de instituições que potencialmente realizam educação vinculando a biodiversidade e a saúde por meio de pesquisas publicadas, parceiros acadêmicos de conglomerados globais e suas próprias redes. Em seguida, os pesquisadores analisaram as ofertas dessas instituições para determinar o grau de integração de interligações entre biodiversidade e saúde.

Foram encontradas 105 ofertas educacionais em biodiversidade e saúde em 89 instituições de 30 países. Estas interligações foram principalmente encontradas em faculdades de saúde pública, ciências veterinárias e medicina, com vários graus de cobertura das interligações.
.

Nos ícones azuis estão as instituições que ensinam biodiversidade e interligações de saúde (88); nos ícones amarelos aqueles com ofertas indiretas (28); nos ícones vermelhos, ofertas pouco claras (18) – Fonte: Frontiers in Public Health

.

Apesar de recente (iniciou-se em 2013), o curso de pós-graduação da FSP tem alcançado uma posição de destaque em vários fóruns internacionais. “É o único curso de Saúde Global em nível de doutorado na América Latina. Seus orientadores, estudantes e egressos possuem uma formação variada, o que dá uma característica interdisciplinar ao programa”, explica Helena. Ela ressalta que o programa já formou 34 doutores e possui 58 alunos, cerca de 10% estrangeiros e 20% PPI (pretos, pardos e indígenas).

O programa também teve um grande salto nas publicações científicas de 2019 a 2020 e, segundo Helena, os anos de 2020 e 2021 têm destacado ainda mais a importância do tema. “A pandemia de covid-19 está inserida fortemente nas preocupações e na produção científica de seus pesquisadores e alunos”, acrescenta a professora, que divide a coordenação do curso com Deisy Ventura, também docente da FSP.

As inscrições para próximo processo seletivo do curso estarão abertas em abril de 2022.

Veja o artigo na íntegra, neste link.
Veja a tabela de instituições que pesquisam o tema no mundo: bit.ly/3fsTmiA
Informações sobre o curso: www.fsp.usp.br/pos/programas/saude-global-e-sustentabilidade

.

Com informações da Assessoria de Comunicação da FSP 

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.