Pesquisadora da USP é premiada em programa para mulheres na ciência

Selecionada pelo estudo sobre o funcionamento do óxido nítrico, Daniela Truzzi realiza estudos pelo Instituto de Química e pelo Cepid Redoxoma

Editorias: Universidade - URL Curta: jornal.usp.br/?p=350951
Daniela Truzzi, uma das vencedoras do Prêmio para Mulheres na Ciência 2020 – Foto: Divulgação/IQ USP

.

A pesquisadora Daniela Truzzi, do Instituto de Química (IQ) da USP e do Centro de Pesquisa em Processos Redox em Biomedicina (Redoxoma), foi uma das sete vencedoras do Programa para Mulheres na Ciência 2020, promovido pela L’Oréal Brasil, em parceria com a Unesco no Brasil e a Academia Brasileira de Ciências (ABC). O programa tem como objetivo “transformar o cenário científico por meio do empoderamento feminino”.

“A importância desse prêmio é a visibilidade que ele traz, não só no nosso meio, mas também para a sociedade, para mostrar para as pessoas como estamos trabalhando, que as mulheres fazem ciência. Um dos objetivos do prêmio é mostrar para as meninas que é possível as mulheres serem cientistas. É essa questão do exemplo e do fato de poder chegar realmente para a sociedade e mostrar o que você está fazendo” afirmou Daniela.

Daniela Truzzi, pesquisadora do Instituto de Química e do Cepid Redoxoma – Foto: Arquivo pessoal

De acordo com o site do prêmio, a cada ano, os 14 membros do júri do programa selecionam trabalhos com potencial de encontrar soluções para importantes questões ambientais, econômicas e de saúde. Daniela Truzzi foi contemplada na categoria Ciências Químicas por seu trabalho com o óxido nítrico. “O projeto é entender como o óxido nítrico se comporta no meio biológico e, mais especificamente, estudar uma classe de metabólitos dele, que são os Dinitrosilos Complexos de Ferro (DNIC)”, explica a pesquisadora. O óxido nítrico é um radical livre gasoso produzido naturalmente por nosso organismo. Ele está envolvido em vários processos fisiológicos e patológicos e desempenha papéis importantes na vasodilatação, na inflamação e na resposta imune.

As vencedoras vão receber uma bolsa no valor de  R$ 50 mil e entram para o time de mais de 100 mulheres cientistas promissoras já contempladas pelo programa. “O prêmio vem no início da minha carreira como cientista. Passei no concurso [IQ-USP] há dois anos e ainda estou sem recursos. Esse prêmio vem num momento muito importante, pois, com a pandemia, os recursos estão muito direcionados à covid-19, então é o primeiro recurso, fora o Cepid Redoxoma, que eu recebo como cientista.”

Daniela é química e fez mestrado e doutorado em Química Inorgânica no Instituto de Química de São Carlos (IQSC). Foi durante o pós-doutorado, no laboratório da professora Ohara Augusto, no IQ-USP, que ela trabalhou o conhecimento da Química Inorgânica na área biológica.

A lista completa das cientistas premiadas está disponível no site do programa. O vídeo com o anúncio das vencedoras do Programa Para Mulheres na Ciência pode ser conferido neste link.

.

Com informações da Assessoria de Imprensa do Cepid Redoxoma

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.