Série de conteúdos produzidos pelo projeto Ciclo22, que remete à reflexão da USP sobre quatro grandes marcos (1822, 1922, 2022 e 2122): o bicentenário da Independência do Brasil, o centenário da Semana de Arte Moderna, o tempo presente e os desafios para os próximos 100 anos

Paralelos 22 mostra riqueza de acervos e estudos sobre Modernismo e independência

Iniciativa do Instituto de Estudos Brasileiros da USP envolve debates sobre estudos do Modernismo clássico e contemporâneo, exposições, podcasts e publicações gratuitas

 Publicado: 24/09/2021

Crisley Santana

Palimpsesto é como foi chamada a prática de reescrever algo usando pergaminhos já utilizados durante a Idade Média. É usando essa metáfora que o Instituto de Estudos Brasileiros (IEB) da USP, em São Paulo, descreve suas iniciativas para comemorar os eventos históricos de 1822 (Independência do Brasil) e 1922 (Semana de Arte Moderna). 

Tais iniciativas estão reunidas no Paralelos 22, projeto do IEB criado em 2020 como maneira de relembrar a importância dos marcos históricos comemorados em 2022 por meio de webinars (denominados Iebinários), que incluem mesas-redondas, conferências e rodas de conversas, além de publicações gratuitas em e-books com atividades de pesquisa dos professores e áreas da pós-graduação

A professora Flávia Toni, vice-diretora do IEB, explicou que os Iebinários ganharam maior projeção dentro da iniciativa por causa da pandemia e o formato on-line adotado. As conversas também servem para demonstrar “as reflexões sobre Modernismo e as relações com as pesquisas do Instituto de Estudos Brasileiros”, indicou a professora.

Os temas das apresentações, que envolvem a participação de pesquisadores e professores de áreas da humanidades, são sobre Modernismo, tanto em perspectiva clássica, como estudos sobre a produção de autores modernistas, quanto contemporânea, com debates sobre gênero e questões indígenas.

“A ideia é fazer uma integração entre temas clássicos e temas da contemporaneidade para poder apontar conexões possíveis entre essas discussões. São duas faces da programação”, afirmou Flávia Toni.

Os conteúdos do IEB usados para as comemorações históricas também estão em podcast. Os episódios abordam aspectos diversos dos acervos e das pesquisas do instituto.

20210920_flavia_toni_ieb

Flávia Toni, vice-diretora do IEB - Foto: Cecília Bastos / USP Imagens

Exemplos de conteúdos promovidos pelo Paralelos22. Clique nas imagens para acessar os e-books:

Clique nos players para ouvir os episódios de podcasts:

Podcast: A classificação do acervo da biblioteca particular de Mário de Andrade

Podcast: Uma coleção de doces no acervo de Mário de Andrade

Podcast: O “ajantarado” e o interesse de Mário de Andrade pela culinária brasileira

Entre os meses de dezembro de 2021 e maio de 2022 parte do acervo da instituição também estará em exposição aberta ao público. Itens que refletem o movimento modernista no Brasil serão expostos em parceria com o Sesi (Serviço Social do Comércio) na Avenida Paulista, “principal vitrine da cidade”, como classificou a professora Flávia Toni. 

“A exposição não pretende reproduzir aquilo que foi a Semana de Arte Moderna em termos pictóricos. Na verdade, o acervo vai ser exposto com uma curadoria que, de alguma maneira, tensiona o que é moderno, o que é Modernismo e o que é modernidade”, explicou. 

A riqueza do instituto também se reflete em parcerias internacionais. Entre 8 de outubro de 2021 e 24 de abril de 2022, fotografias feitas por Mário de Andrade, que integram o acervo do IEB, estarão expostas na galeria Lenbachhaus, um museu de arte da cidade de Munique, na Alemanha. Confira as imagens que estarão na exposição abaixo.

1ª Viagem etnográfica - Fotografia feita por Mário de Andrade durante a viagem de estudos que fez ao Norte do Brasil, entre os meses de maio e agosto de 1927 - Foto: Acervo IEB/USP

Lote Santa Teresa do Alto - Dolur em Santa Teresa do Alto - Fotografia feita por Mário de Andrade entre 1927 e 1928 na Fazenda Santa Teresa do Alto, de Tarsila do Amaral - Foto: Acervo IEB/USP

Lote Santa Teresa do Alto - sombra minha - Sombra de Mário de Andrade fotografada por ele entre 1927 e 1928 na Fazenda Santa Teresa do Alto, de Tarsila do Amaral - Foto: Acervo IEB/USP

1ª Viagem etnográfica - Fotografia feita por Mário de Andrade, Igapó beirando o Amazonas, em junho de 1927 - Foto: Acervo IEB/USP

1ª Viagem etnográfica - Fotografia feita por Mário de Andrade mostra Pescador atirando tarrafa - Foto: Acervo IEB/USP

Além das comemorações históricas, o Instituto de Estudos Brasileiros terá sua própria comemoração em 2022, ocasião em que comemora 60 anos. “Foi fundado pelo professor Sérgio Buarque de Holanda, um historiador que foi o primeiro diretor do IEB. Então 2022 traz essas duas situações emblemáticas e o aniversário da instituição”, explicou a professora. 

Confira outras iniciativas realizadas pelo IEB no site do Paralelos 22 pelo link: https://www.ieb.usp.br/paralelos22/ 

Acompanhe o projeto Ciclo22 da USP no site: ciclo22.usp.br 
E siga as redes sociais do projeto: 
Twitter | Instagram | Youtube


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.