Onde estavam as mulheres? Podcast discute a presença delas na arte medieval

Novo episódio do podcast do Laboratório de Estudos Medievais da USP discute a presença das mulheres nas representações artísticas da Idade Média; ouça aqui

 Publicado: 25/11/2021  Atualizado: 26/11/2021 as 16:32
Por
Roman de la Rose, poema francês medieval de Jean de Meung e Guilherme de Lorris. Département des Manuscrits Français. Domínio Público.

 

Qual imagem vem à sua cabeça quando pensa em uma mulher durante a Idade Média? Para muitos, a resposta para essa pergunta é a visão de uma pessoa sem qualquer liberdade, completamente submissa às vontades de um homem. Ou até mesmo a cena de uma “bruxa” queimando em uma fogueira. 

Mas as coisas não foram bem assim. Em certa medida, as mulheres da Idade Média estavam envolvidas inclusive com o mundo da arte. E para falar desse assunto, o “Estudos Medievais” – podcast do Laboratório de Estudos Medievais da USP (LEME-USP) – conversou com a Maria Cristina Pereira, professora de História Medieval da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP. 

No novo episódio do programa, o ouvinte descobre que, durante a Idade Média, era possível encontrar autoras, financiadoras e consumidoras das produções artísticas. Uma perspectiva que se contrapõe ao lugar dado às representações femininas nos estudos tradicionais de história da arte. “Muitas vezes projetamos na Idade Média uma invisibilidade, que não era necessariamente o caso. Algo com o que nós temos que tomar muito cuidado”, diz a professora. 

O episódio é uma oportunidade de reflexão sobre a forma como são percebidas e interpretadas as figuras medievais femininas. A proposta do episódio é fugir do estereótipo contrastante entre a pecadora e a santa, ou entre Eva e Maria. Ouça no player abaixo:

 

Maria Cristina cita a ilustração “Freira colhendo falos” para indicar como a visão sobre as mulheres na Idade Média é muito mais complexa do que estamos acostumados a discutir. A imagem faz parte de um manuscrito do século XIV do Romance da Rosa. De acordo com pesquisas na área, há indícios de que a imagem tenha sido desenhada por uma mulher. 

A professora lembra que, mais do que uma época de trevas, a Idade Média foi um momento histórico longo e heterogêneo, que envolveu um amplo território e uma grande diversidade sociocultural. Por essa razão, a ideia de uma única experiência feminina ligada à tradição cultural da Igreja Católica é simplista e um tanto quanto distorcida. 

Para quem tiver interesse em aprender ainda mais sobre o período, vale a pena acompanhar os outros trabalhos do LEME. Além do podcast, que discute mensalmente temas relacionados à época, o laboratório é responsável pelo incentivo e pela produção de pesquisas em todo o Brasil sobre a Idade Média.

O LEME está distribuído em núcleos na Universidade de São Paulo (USP), Universidade de Campinas (UNICAMP), Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Universidade Federal de Goiás (UFG), Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Universidade Federal do Vale do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) e Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Além disso, o laboratório é um ambiente de conexão nacional entre pesquisadores, com um papel importante para a preservação dos estudos do medievalismo no país. 

Saiba mais:
https://leme.fflch.usp.br

https://www.instagram.com/lemeusp

Escute o podcast “Estudos Medievais” no Spotify:
https://open.spotify.com/show/0nx4wbRZEbAOFzncuqzt87
  


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.