O porão do Centro Acadêmico XI de Agosto está pronto para retomar sua história

Reforma da sede do Centro Acadêmico da Faculdade de Direito da USP foi finalizada no dia 27 de julho com projeto focado em segurança e acessibilidade; obras foram aceleradas após um incêndio ocorrido em abril de 2019

Editorias: Universidade - URL Curta: jornal.usp.br/?p=343881

Centro Acadêmico XI de Agosto faz parte da história da luta pela democracia no País – Arte sobre fotos/Divulgação CA XI de Agosto

.

Na Faculdade de Direito do Largo São Francisco descer ao porão tem um significado especial. É lá que está, há quase um século, o Centro Acadêmico XI de Agosto. Acessar ao local pela Riachuelo faz sentir a singularidade e a importância do espaço onde gerações travam debates intensos, líderes são formados, amizades de vida começam, ideias e ideais se convertem em ações.

O porão foi tomado por um princípio de incêndio em abril de 2019. Após meses de obras, muitos percalços e uma pandemia, a reforma foi concluída em 27 de julho último. As obras já estavam previstas para serem iniciadas, mas o incidente deu celeridade à reforma, que foi realizada integralmente com recursos da Faculdade de Direito e o apoio da Superintendência do Espaço Físico da USP (SEF-USP). Assim que for superado o período de isolamento, imposto pela covid-19, o local será novamente entregue aos alunos.

O projeto de reforma foi elaborado ouvindo os estudantes e procurando combinar segurança, aderência às normas, economia de recursos e a destinação do espaço às necessidades e preocupações dos estudantes. Diversas reuniões foram feitas entre a diretoria da faculdade, os representantes dos alunos, engenheiros, arquitetos e projetistas. O envolvimento do XI no projeto foi fundamental.

+ Mais

Faculdade de Direito da USP terá projeto ousado para nova biblioteca

Reparação de caixa dois ajudará em reforma de biblioteca histórica da USP

Programa da Faculdade de Direito da USP é avaliado com nota 6 pela Capes – Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Princípio de incêndio no porão da Faculdade de Direito foi controlado e não deixou feridos

Para Laura Arantes, que presidia o XI em 2019, esse “novo” local cura a ferida deixada pelo triste episódio do princípio de incêndio. “Foi um dia muito doloroso”, conta. Sua gestão conseguiu transformar o incidente em uma janela de oportunidades. Foram feitas diversas reuniões para entender o que os alunos esperavam. Depois, trabalharam duro para deixar o porão na sua versão mais acolhedora, receptiva e inclusiva. “Que as próximas gerações possam usufruir muito desse espaço”, acrescenta. As obras prosseguiram durante a atual gestão do Centro Acadêmico, embora o período tenha coincidido com as férias e logo depois com a quarentena.

As obras, contudo, transcorreram num período bem difícil pois foram alcançadas em plena execução pela pandemia. O trabalho dos funcionários da FD fez a diferença, especialmente para cumprir as normas de acessibilidade e de segurança. Dessa forma, toda a rede elétrica foi substituída, encanamentos trocados e materiais inflamáveis deram lugar a outros produtos dentro das normas técnicas e de segurança. Além disso, o local passou a contar com uma saída de emergência, que, já instalada, aguarda somente a aprovação dos órgãos de proteção ao patrimônio histórico para ser aberta. Isso pelo fato de o Prédio Histórico ser tombado. “O porão contava com apenas um acesso de entrada e saída. Agora, está bem mais seguro”, reforça Camilo de Lelis, supervisor-técnico de serviços. Foram feitas todas as remodelações necessárias, acentua o chefe-técnico de serviço da faculdade, Jorge Luís Braggio. “É uma honra entregar esse espaço visando ao bem-estar dos alunos”, diz. Camilo e Jorge acompanharam diariamente as obras em nome da FD-USP, mesmo durante a pandemia, tomando as cautelas necessárias.

Para o diretor da faculdade, Floriano de Azevedo Marques Neto, essa reforma é um importante marco. “Entre tantas melhorias que a faculdade merece, talvez esta seja a mais importante. Posso dizer que é uma obra que planejo há 35 anos, desde quando eu era diretor do XI. Ter um porão renovado, seguro e moderno é algo à altura da importância e tradição do XI, uma escola de líderes dentro da melhor escola de Direito do Brasil.”
.

Obras finalizadas em 29 de julho de 2020 do porão da Faculdade de Direito da USP, sede do Centro Acadêmico XI de Agosto – Fotos: Divulgação/CA XI de Agosto

.

Tradição na política brasileira

Criado em 1903, o XI de Agosto é um agente ativo nas transformações político-sociais do Brasil, o que reafirma o posicionamento e o carinho daqueles que tiveram e têm a oportunidade de ser eleitos para presidi-lo, ao longo desses quase 120 anos de história. Seus representantes engajam-se em grandes disputas visando à democracia nacional.

Um marco recente, citado como exemplo, é a luta pela redemocratização. Presidente do XI em 1984 – período em que o grito pelas “Diretas já!” ganhava às ruas –, o professor titular da Escola de Comunicações e Artes da USP Eugênio Bucci destaca as passagens históricas da política nacional. Um deles, o Ato pela Constituinte, no Salão Nobre da FD-USP, que reuniu várias entidades e abriu caminho para a Constituição de 1988. Outro ponto marcante para ele foi a derrota da Emenda Dante de Oliveira, que restabeleceria as eleições diretas, mas acabou não acontecendo. Na ocasião, o XI realizou uma assembleia para acompanhar a votação. “É bom que esse lugar de gestão estudantil esteja saneado arquitetonicamente”, ressalta.

Na mesma linha, Andrea Mustafa, presidente do XI em 1998, ressalta o período marcante de convívio na Faculdade do Largo São Francisco. De acordo com ela, o efeito que o Centro Acadêmico causa, para além da formação politizada, deixa marcas fundamentais para o crescimento profissional. “Inspirador é ouvir o que vivem as pessoas que por lá passaram”, acredita.

No mais, é importante que esse berço de líderes políticos, juristas e literatos esteja pronto para receber seus alunos para continuar a escrever a história de muitos, como Monteiro Lobato, Dalmo de Abreu Dallari, Goffredo da Silva Telles, Jânio Quadros, dentre tantos que compõem os bancos da bicentenária Faculdade de Direito do Largo São Francisco.
.

Assessoria de Comunicação da Faculdade de Direito da USP
.

 

 

 

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.