Monitoramento da Amazônia está na vanguarda mundial

Moção da Congregação do Instituto de Física da USP destaca prestígio e reconhecimento internacional do Inpe

Editorias: Universidade - URL Curta: jornal.usp.br/?p=263340
Foto: Divulgação / INPE

No dia 5 de agosto, a Congregação do Instituto de Física da USP divulgou moção de apoio ao professor Ricardo Galvão, recentemente exonerado da presidência do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Leia a moção na íntegra:

“A Congregação do Instituto de Física da Universidade de São Paulo vem manifestar sua consternação com os episódios que levaram à exoneração do diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o Prof. Dr. Ricardo Magnus Osório Galvão. Possivelmente, por possuírem pouca experiência na administração pública, ainda mais pronunciada em questões ligadas à ciência, as autoridades do atual governo federal demonstram desconhecer o rigor exigido na apresentação de dados experimentais.

Desconhecem que uma das maiores ofensas que podem ser dirigidas a cientistas é a acusação de falsearem os resultados de suas pesquisas. O Inpe é uma das instituições de pesquisa do Brasil com maior prestígio e reconhecimento internacionais, construídos ao longo de décadas de serviços relevantes, de avanços no conhecimento científico comprovados reiteradamente por estudos posteriores. O sistema de monitoramento da cobertura vegetal na Amazônia está na vanguarda mundial.

+ Mais

Conflito sobre dados da Amazônia derruba diretor do Inpe

A USP cede, temporariamente, alguns de seus docentes altamente qualificados para assumirem funções de governança científica em outras instituições, em prol do interesse público. Entendemos que é nosso dever contribuir com políticas de Estado, privando-nos da sua atuação local.

Manifestamos nossa solidariedade com o Inpe, que deixará de contar com a condução segura e equilibrada do Prof. Dr. Ricardo Galvão, antes do término de seu mandato como diretor. Desde que o método científico passou a ser utilizado de modo mais sistemático, cientistas são obrigados a confrontarem autoridades que gostariam de moldar a realidade de acordo com seus intentos.

Mas, conforme expressado por Daniel Patrick Moynihan, “todos têm direito à sua própria opinião, mas não têm direito aos seus próprios fatos”. Orgulhamo-nos de nosso colega, o professor titular de nosso instituto, Ricardo Galvão, por não se deixar intimidar e por refutar pressões para que cometesse a suprema falta ética de falsear dados experimentais. Como professor desta instituição, ele deu valioso exemplo de conduta para os nossos estudantes.

A Congregação do Instituto de Física reitera sua convicção de que o lema da USP prevalecerá: Scientia Vinces!”

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.