Livro gratuito reúne experiências educativas em unidades de conservação ambiental

Coordenada por pesquisadora do Instituto de Biociências da USP, publicação é fruto de projeto do Programa Biota que busca políticas inovadoras para a gestão de unidades de conservação ambiental

 29/05/2024 - Publicado há 2 meses
Crianças participam de ação educacional na Cachoeira do Saltinho em São Luiz do Paraitinga, São Paulo – Foto: Acervo PESM/Diagrama Editorial

.
As experiências e resultados de planos e práticas de educação ambiental em quatro Unidades de Conservação (UCs) do Estado de São Paulo estão disponíveis no livro Educação Ambiental em Unidades de Conservação: fundamentos e práticas, publicação lançada pela Diagrama Editorial com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) que pode ser baixada gratuitamente neste link.

Um dos aspectos mais relevantes do trabalho foi sua abordagem, que colocou a participação social e o diálogo no centro das atividades realizadas, envolvendo diferentes atores sociais – comunidade local, pesquisadores e gestores dos territórios estudados – que atuaram conjuntamente na construção e investigação de propostas educativas voltadas à biodiversidade e sociodiversidade nas UCs.

Coordenada por Rosana Louro Ferreira Silva, líder do Grupo de Pesquisa em Educação Ambiental e Formação de Educadores (GPEAFE) do Departamento de Zoologia do Instituto de Biociências (IB) da USP, a pesquisa fez parte da chamada de propostas Conservação, restauração e uso sustentável da biodiversidade em Unidades de Conservação, fruto do convênio entre Fapesp, Secretaria de Meio Ambiente, Infraestrutura e Logística (Semil) e Fundação Florestal do Estado de São Paulo. Um dos objetivos centrais desse convênio é a produção de análises e experiências que auxiliem na implementação, ampliação e monitoramento de políticas inovadoras para a gestão de UCs.

“É a parceria e o diálogo entre pesquisadores, educadores e gestores das UCs que vão resultar na produção de conhecimentos com grande impacto para a conservação da biodiversidade”, afirma Jean Paul Metzger, membro da coordenação do Programa Biota-Fapesp, destacando que essas análises e experiências não devem ser produzidas pelos pesquisadores de forma isolada.

Livro está disponível para download gratuito – Foto: Diagrama Editorial

.
Construção colaborativa

A pesquisa foi realizada em quatro UCs com demandas e realidades distintas: Parque Estadual (PE) do Jaraguá, Área de Proteção Ambiental (APA) Parque e Fazenda do Carmo, Núcleo Santa Virgínia do Parque Estadual da Serra do Mar e APA Corumbataí/Piracicaba. Ferreira Silva destaca o referencial teórico da aprendizagem social para a pesquisa realizada. “Nós trabalhamos com a perspectiva de que aprendemos e produzimos conhecimentos coletivamente, planejando, agindo, refletindo e replanejando juntos. E pesquisamos os processos de comunicação, negociação, reflexão e participação que aconteceram nesses caminhos”, explica a pesquisadora.

O livro é dividido em oito capítulos, que trazem as diferentes propostas de trabalho realizadas – sempre adaptadas às características específicas de cada território –, como a construção colaborativa de cursos de formação de professores, juntamente com monitores e gestores das UCs; a implantação do Programa de Educação Ambiental da APA Corumbataí/ Piracicaba; um projeto de educomunicação que produziu quatro vídeos, sendo um deles com jovens indígenas que vivem no entorno do Parque Estadual do Jaraguá; além de diversas atividades do projeto de ciência cidadã com abelhas nativas na APA Carmo e do PE Jaraguá.

Área de Proteção Ambiental (APA) Parque e Fazenda do Carmo faz parte de um dos projetos presentes no livro – Foto: Diagrama Editorial

.
Além de consolidar os resultados do projeto, a publicação do livro também alimenta o potencial de replicação dessas práticas em outras áreas protegidas. “Entendemos que a pesquisa traz subsídios para outras UCs aprimorarem seus planos de educação ambiental e implementarem ou replicarem a formação de monitores e professores, envolvendo a comunidade local de acordo com a realidade de cada UC, utilizando ferramentas de aprendizagem social e educomunicação”, destaca Ferreira Silva.

Para Adriana Neves da Silva Carvalho, assessora de Educação Ambiental da Fundação Florestal que participou de todo o processo, a parceria entre pesquisadores e Unidades de Conservação potencializa a gestão desses territórios. “Especialmente neste momento, em que temos um Programa de Educação Ambiental Estadual sendo construído, é de extrema importância termos essa pesquisa participativa com o desafio de olhar e pensar a educação ambiental como um componente de destaque dentro da gestão das UCs”, destaca.

Jônatas Souza da Trindade, subsecretário de Meio Ambiente do Estado de São Paulo, espera produzir mais conteúdos em parceria entre a Semil e as universidades. “Este livro traz os resultados de um trabalho de qualidade, com o envolvimento dos gestores das UCs e com potencial de mudança e é isso que faz diferença na vida das pessoas.”

Com 116 páginas, o livro Educação Ambiental em Unidades de Conservação: fundamentos e práticas pode ser baixado gratuitamente pelo site da editora neste link.

.

* Texto: Agência Fapesp, com informações de Érica Speglich, do boletim Biota Highlights


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.