Faculdade de Odontologia da USP busca voluntários para pesquisas

Na USP da capital, departamentos procuram pacientes para o desenvolvimento de diversos tratamentos e estudos

Por - Editorias: Universidade - URL Curta: jornal.usp.br/?p=154955
  • 398
  •  
  •  
  •  
  •  
Pesquisas na FO da USP demandam a ajuda de pacientes voluntários para diferentes estudos – Foto: Politikaner / Wikimedia Commons

.
A Faculdade de Odontologia (FO) da USP, localizada no campus da capital, está buscando voluntários para diversos estudos.

A disciplina de Periodontia recruta pessoas para estudar a eficácia de produtos de higiene oral na gengivite. Há 90 vagas para a pesquisa, da qual podem participar indivíduos não fumantes, com boa saúde geral, um mínimo de 20 dentes, idade entre 18 e 65 anos e que possuam gengivite (gengivas com sangramento ou vermelhidão). Todos os participantes receberão diagnóstico, profilaxia e produtos de higiene oral. Os interessados devem entrar em contato com a pesquisadora Cristina Villar, seja pelo telefone (11) 2648-8055 ou pelo e-mail villar@usp.br.

Outro trabalho sendo conduzido pela disciplina de Periodontia é o tratamento de extração de dente por meio do uso de enxerto ósseo e implante. Os voluntários devem ter mais de 18 anos, ter extraído um dente há mais de seis meses (pode ser um espaço de até quatro dentes), não fumantes, sem problemas de saúde e não gestantes. Para avaliação, deve-se entrar em contato pelo número (11) 3091-7833, enviar e-mail para maricg@usp.br ou procurar por Marília na disciplina de Periodontia.

O Laboratório Especial de Laser em Odontologia (Lelo) da USP também está em busca de pacientes. A pesquisa em desenvolvimento trata de paralisia facial. Os interessados podem fazer uma entrevista descompromissada para analisar se o perfil se encaixa nos parâmetros do estudo. Nem todos os pacientes serão selecionados e aprovados para o tratamento. O contato com o Lelo deve ser feito através do telefone (11) 3091-7645.

A Faculdade de Odontologia está trabalhando ainda em uma análise da retração gengival. Essa condição causa a exposição da raiz, aumenta a sensibilidade dos dentes, prejudica a estética, facilita a erosão dental e o aparecimento de cárie na raiz exposta. Se não tratada, a retração da gengiva pode aumentar com o tempo, levando também ao aumento do risco de perda do dente acometido. O contato pode ser feito com Marcelo Sirolli (99656-0470 / marcelosirolli@usp.br), Marília Cabral (94791-9023 / mariliaccm@usp.br), Gabriella Ribas (98915-4024 / ribas@usp.br) e Marília Gomes, através do Departamento de Periodontia (3091-7833).

  • 398
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados